Blog Saída de Rede http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br Reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Fri, 18 Oct 2019 09:00:26 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Voleicast: Campeão da Copa, Renan Dal Zotto brilha no comando do Brasil http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/18/voleicast-campeao-da-copa-renan-dal-zotto-brilha-no-comando-do-brasil/ http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/18/voleicast-campeao-da-copa-renan-dal-zotto-brilha-no-comando-do-brasil/#respond Fri, 18 Oct 2019 09:00:26 +0000 http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/?p=18789

Renan não só fez o Brasil jogar bem na Copa como tem conseguido abrir espaço para a nova geração (Foto: Divulgação/FIVB)

Quando assumiu o comando da seleção brasileira masculina de vôlei, em janeiro de 2017, Renan Dal Zotto se viu repleto de desconfianças: para a maioria dos torcedores e boa parte da imprensa (incluindo este blog), o argentino Marcelo Mendez, do Sada Cruzeiro, e Roberley Leonaldo, o Rubinho, homem de confiança de Bernardinho na comissão técnica, eram opções melhores. Dois anos e meio depois, o ex-jogador mostrou que tinha sim a competência necessária para assumir o posto.

Não bastasse ter derrotado os dois rivais ao longo da última Superliga, Renan fez com que o Brasil conquistasse o título da Copa do Mundo com autoridade. É verdade que boa parte dos rivais colocaram reservas em quadra, mas, quando foi testada diante de Estados Unidos e Polônia, a seleção correspondeu. Outra boa notícia é que, ao mesmo tempo em que o nível das atuações sobe, a comissão técnica consegue abrir espaço para uma nova geração, através de nomes como o oposto Alan, 25, o levantador Fernando Cachopa, 23 anos, do central Flávio, 26, e do líbero Thales, 30.

Este é o principal tema da conversa entre as jornalistas Carolina Canossa e Janaína Faustino na 10ª edição do Voleicast, podcast dedicado ao vôlei feito pelo Saída de Rede. Ao analisar a conquista do Brasil, elas observam que a seleção subiu de nível na reta final da temporada depois de momentos turbulentos, mas ressaltam que, apesar do excelente momento, o time verde-amarelo não é favorito absoluto ao ouro na Olimpíada do ano que vem (e explicam os motivos). A histórica vitória da República Dominicana sobre os EUA no continental da Norceca, a definição das duplas olímpicas do Brasil no vôlei de praia e o Campeonato Paulista masculino também foram abordadas no programa.

Dê o play e ouça abaixo:

Também é possível ouvir o Voleicast no seu celular através dos principais agregadores de podcasts, caso do SpotifyGoogle Podcasts, Podcasts da AppleBreaker e PocketCasts.

Sabia que você pode fazer parte do clube de assinaturas do Saída de Rede – Voleicast, não só contribuindo para a manutenção e melhora do nosso trabalho como também recebendo recompensas como sorteio de camisas, livros e participação em um grupo exclusivo com lives periódicas no Facebook? Clique aqui e veja o que mais se adequa ao seu bolso.

Ouça mais:

Episódio 08 – Copa do Mundo mostra que seleção feminina tem muito a trabalhar até Tóquio 2020

Episódio 09 – Brasil tem bom início, mas ainda será testado na Copa do Mundo

E você, como avalia o trabalho do Renan? Quais as chances da seleção masculina em Tóquio 2020? Deixe sua opinião através da caixa de comentários abaixo, na nossa fanpage no Facebook, no nosso Twitter, no nosso Instagram ou pelo e-mail saidaderede@uol.com.br. Você também pode aproveitar esses contatos para dar sugestões, fazer críticas ou até mesmo elogiar o Voleicast.

]]>
0
Vôlei de praia: duplas brasileiras na Olimpíada de Tóquio são definidas http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/16/volei-de-praia-duplas-brasileiras-na-olimpiada-de-toquio-sao-definidas/ http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/16/volei-de-praia-duplas-brasileiras-na-olimpiada-de-toquio-sao-definidas/#respond Wed, 16 Oct 2019 19:25:10 +0000 http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/?p=18782

Em sentido horário: Ágatha/Duda, Álvaro Filho/Alison, Rebecca/Ana Patrícia e Evandro/Bruno Schmidt (Montagem sobre fotos Divulgação/FIVB)

A confirmação ocorreu de uma maneira inusitada, mas vale do mesmo jeito: Ágatha/Duda, Ana Patrícia/Rebecca, Alison/Álvaro Filho e Evandro/Bruno Schimidt serão as quatro duplas brasileiras a tentar o outro no vôlei de praia da Olimpíada de Tóquio.

Apesar dos bons resultados obtidos pelas parcerias em quadra, a certeza mesmo só veio com o comunicado da FIVB (Federação Internacional de Vôlei) a respeito do calendário 2020 do Circuito Mundial da modalidade. Como as regras estabelecidas pela CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) diziam que serão considerados todos os eventos quatro e cinco estrelas do Circuito Mundial, além do próprio Campeonato Mundial, a serem jogados entre março de 2019 e fevereiro de 2020, não há mais a possibilidade de estas duplas serem ultrapassadas pelos rivais na corrida olímpica.

+ Participe do nosso financiamento coletivo e concorra a prêmios

A grande dúvida era sobre a realização ou não da etapa de Fort Lauderdale (EUA) em janeiro, que, agora se sabe, não vai acontecer. Com isso, a etapa quatro estrelas de Chetumal (México), a única restante até o prazo final, não será matematicamente capaz de alterar os resultados obtidos até agora.

“O último ano e meio não foi nada fácil, especialmente nesses últimos meses, por toda a pressão, pelo relógio que jogava contra a nossa dupla, que foi formada com a corrida olímpica em andamento, sem resultados… Tínhamos cinco meses para brigar pela vaga e não podíamos errar. Nosso time estava fechado, sabíamos que a única coisa a fazer era trabalhar forte e duro, com seriedade e vontade, fazer o melhor em busca dessa classificação. Receber a notícia da vaga é especial… Difícil explicar a sensação, o tamanho de felicidade com essa confirmação”, comentou Alison, atual campeão olímpico, que estabeleceu a parceria com Alvaro somente no último mês de março.

Campeão olímpico na Rio 2016 ao lado de Alison, Bruno Schmidt também vai tentar o bi, agora ao lado de Evandro. Os dois, que também formaram a dupla tardiamente, em fevereiro de 2019, lideraram boa parte da corrida olímpica, mas acabaram ultrapassados pelos rivais na reta final.

“Ficamos muito felizes com o anúncio. Não víamos a hora. Estou indo para minha segunda olimpíada, com outra cabeça, agora mais experiente, um pouco mais vivido e jogando ao lado de um cara que eu sou fã. Sabemos que ainda temos que evoluir em muita coisa, mas temos tempo e vamos trabalhar para chegar bem em Tóquio. Vamos brigar por cada bola, por cada ponto, em busca de uma medalha, que passa a ser o nosso grande objetivo a partir de agora”, comentou Evandro.

FEMININO

Entre as mulheres, o Brasil também será representado por gente que quer repetir a medalha na Rio 2016: Ágatha Bednarczuk, prata no Rio ao lado de Bárbara Seixas, e que agora joga ao lado de Duda Santos, 21 anos e estreante em Olimpíada.

“Estávamos nos segurando há dias, mas agora saiu oficialmente (…) Então, estamos em Tóquio”, comemorou Ágatha em vídeo feito ao lado de Duda – em 2018, ambas foram campeãs do Circuito Mundial.

A outra dupla que vai defender o Brasil também terá sua primeira experiência olímpica no Japão: Ana Patrícia e Rebecca – trata-se de um resultado até certo ponto inesperado, pois até o início deste ano as duas ainda lutavam para se consolidar entre as principais duplas do país. Por outro lado, ambas possuem a juventude como arma.

Siga o Voleicast no Instagram: @voleicast

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

]]>
0
Mundial de Clubes 2019 terá reencontro entre Sada Cruzeiro e Leal em Betim http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/16/mundial-de-clubes-2019-tera-reencontro-entre-sada-cruzeiro-e-leal-em-betim/ http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/16/mundial-de-clubes-2019-tera-reencontro-entre-sada-cruzeiro-e-leal-em-betim/#respond Wed, 16 Oct 2019 15:46:52 +0000 http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/?p=18775

Cruzeiro voltará a organizar o Mundial de Clubes (Foto: Divulgação/FIVB)

A Federação Internacional de Vôlei (FIVB) anunciou que, assim como em 2013, 2015 e 2016, o Sada Cruzeiro será o anfitrião da 15ª edição do Campeonato Mundial de Clubes masculino. O ginásio Divino Braga, na cidade de Betim, região metropolitana de Belo Horizonte (MG), voltará a receber os jogos entre os dias 3 e 8 de dezembro. A última edição do torneio foi disputada em Reszów, na Polônia.

Tricampeã mundial e atual campeã sul-americana, a Raposa conseguiu seus três troféus derrotando os russos do Lokomotiv Novosibirsk, em 2013, e do Zenit Kazan de forma consecutiva em 2015 e 2016. Em todas estas oportunidades, a equipe atuou em Betim, cidade onde o projeto floresceu no cenário nacional.

Nesta edição, os mineiros, que fizeram uma campanha frustrante no ano passado ao caírem ainda na primeira fase do torneio, terão como adversários os poderosos Lube Civitanova, que se sagrou campeão europeu na última temporada, e Zenit Kazan, da Rússia, além do catari Al Rayyan, terceiro colocado no último Campeonato Asiático, que é comandado por Carlos Schwanke, assistente de Renan Dal Zotto na seleção brasileira.

Participe do sorteio do livro “10 anos Sada Cruzeiro”

Assine o Voleicast e concorra a prêmios

No Voleicast: seleção feminina tem muito a evoluir até Tóquio 2020

Esta edição do Mundial ainda será marcada pelo reencontro entre Leal, astro que hoje brilha na seleção e no clube italiano ao lado de Bruno, e o time azul, onde ele atuou durante seis anos e se projetou no cenário mundial. O central Simon, peça-chave no esquema do Civitanova, que deixou o Cruzeiro de maneira turbulenta na temporada passada, também deverá rever seus antigos companheiros e torcida.

De acordo com o regulamento, os times se enfrentarão dentro de um mesmo grupo. As semifinais serão disputadas entre primeiro e quarto colocados, além do segundo contra o terceiro. Os vencedores das semifinais avançam à final e os perdedores decidem o bronze.

O atual campeão do Mundial de Clubes é o Trentino, tradicional equipe italiana que conquistou o penta ao superar o Civitanova por 3 sets a 1 na final.

Siga o Voleicast no Instagram: @voleicast

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

]]>
0
Brasil x Polônia rende liderança incomum ao SporTv2 na TV paga http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/15/brasil-x-polonia-rende-lideranca-incomum-ao-sportv2-na-tv-paga/ http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/15/brasil-x-polonia-rende-lideranca-incomum-ao-sportv2-na-tv-paga/#respond Tue, 15 Oct 2019 15:46:42 +0000 http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/?p=18769

Eleito MVP da Copa do Mundo, oposto Alan foi um dos destaques da vitória brasileira contra a Polônia (Foto: Divulgação/FIVB)

A boa campanha da seleção brasileira masculina de vôlei na Copa do Mundo se refletiu entre os telespectadores brasileiros. Segundo informação obtida pelo Saída de Rede, o duelo entre Brasil e Polônia na madrugada do último domingo (13) rendeu ao SporTv2 a liderança de audiência entre os canais de TV a cabo.

Trata-se de um feito raro para o segundo canal esportivo do Grupo Globo, que, na ocasião, chegou a atingir 74% de participação entre os canais esportivos. Ou seja: de cada 100 televisores ligados em canais esportivos naquele momento, 74 estavam acompanhando a reedição da final dos dois últimos Campeonatos Mundiais. Foi a maior audiência entre todos os jogos do torneio transmitidos para o Brasil.

E mais:

+ Voleicast: seleção feminina tem muito a trabalhar até a Olimpíada

+ Assine nosso financiamento coletivo e concorra a prêmios

Quem ficou acordado acabou presenteado com uma emocionante partida de voleibol, encerrada apenas no quinto set a favor dos comandados do técnico Renan Dal Zotto, resultado fundamental para a conquista do terceiro título brasileiro na história da Copa do Mundo (as outras duas conquistas foram em 2003 e 2007). Assim, o Brasil se tornou tricampeão entre as principais disputas do vôlei de seleções (Olimpíada, Mundial e Copa do Mundo), feito atingido apenas pela União Soviética, que não existe mais.

TEMPORADA DE CLUBES NA TV ABERTA

Com o fim da temporada de seleções, os jogadores da seleção voltam aos seus clubes, cuja principal competição, a Superliga, começa em 9 de novembro. De acordo com o site “Web Vôlei”, o torneio será transmitido na TV aberta pela TV Cultura, que vai exibir dois jogos por semana. Na TV fechada, a exclusividade segue sendo do SporTv, enquanto a TV NSports e no Canal Vôlei Brasil passarão jogos por streaming.

]]>
0
Com reservas, Brasil vence Itália e termina Copa do Mundo invicto http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/15/com-reservas-brasil-vence-italia-e-termina-copa-do-mundo-invicto/ http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/15/com-reservas-brasil-vence-italia-e-termina-copa-do-mundo-invicto/#respond Tue, 15 Oct 2019 07:43:52 +0000 http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/?p=18761

Isac foi o destaque individual do jogo, com 14 pontos e excelentes passagens pelo saque (Fotos: Divulgação/FIVB)

Campeã da Copa do Mundo com uma rodada de antecipação, a seleção brasileira masculina de vôlei atuou com reservas em sua última partida no torneio, diante da Itália na madrugada desta terça-feira (15). Ainda assim, a equipe não teve muitos problemas para vencer os rivais por 3 sets a 0, parciais de 25-20, 25-22 e 25-15.

Ao todo, os comandados do técnico Renan Dal Zotto conseguiram 11 vitórias em 11 jogos no Japão, tendo perdido apenas cinco sets – apesar de boa parte dos rivais não ter jogado a Copa com suas equipes principais, adversários importantes como Estados Unidos e Polônia foram superados mesmo usando uma equipe bastante parecida com a que devem jogar a Olimpíada do ano que vem.

E mais:

+ Voleicast: seleção feminina tem muito a trabalhar até a Olimpíada

+ Assine nosso financiamento coletivo e concorra a prêmios

A Itália foi um dos times que optou por atuar no Japão sem força máxima, preservando suas principais estrelas, como o levantador Gianelli, o oposto Zaytsev e o ponteiro Juantorena. Ainda assim, no duelo de reservas nesta madrugada, o Brasil foi claramente superior, especialmente no ataque, fundamento em que marcou 40 pontos contra 30 dos rivais.

Destaque ainda para a passagem do central Isac no saque no começo do terceiro set: com ele no serviço, a seleção desestabilizou a linha de passe italiana de tal forma que uma desvantagem de 6-11 se transformou no set mais tranquilo da partida.

Apesar de o título estar assegurado, não faltou esforço aos jogadores da seleção em quadra

Com cinco aces, três bloqueios e seis pontos de ataque, Isac terminou o confronto como o maior pontuador, seguido pelo oposto reserva Felipe Roque, que marcou 12 pontos. Único titular em quadra ao lado do líbero Thales, o também meio de rede Maurício Souza colocou sete bolas no chão.

A Copa do Mundo marca o encerramento da temporada de seleções para o vôlei brasileiro – além do título agora, a equipe masculina do país venceu o Sul-americano, garantiu a vaga olímpica em um duelo dramático contra a Bulgária e ficou em quarto lugar na Liga das Nações. Os jogadores agora voltam aos seus respectivos clubes, com a Superliga programada para começar em 9 de novembro.

]]>
0
Brasil ganha o tri na Copa do Mundo e fecha temporada de seleções em alta http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/14/brasil-ganha-o-tri-na-copa-do-mundo-e-fecha-temporada-de-selecoes-em-alta/ http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/14/brasil-ganha-o-tri-na-copa-do-mundo-e-fecha-temporada-de-selecoes-em-alta/#respond Mon, 14 Oct 2019 12:43:56 +0000 http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/?p=18735

Seleção levou o tri na Copa do Mundo com 10 vitórias em 10 jogos (Fotos: Divulgação/FIVB)

O torcedor brasileiro pode soltar o grito de campeão. A seleção masculina de vôlei encerrou a temporada com o tricampeonato da Copa do Mundo do Japão. Após as conquistas de 2003 e 2007, a equipe verde e amarela faturou, na manhã desta segunda-feira (14), o caneco com uma rodada de antecedência ao superar o valente time da casa na cidade de Hiroshima por 3 sets a 1, com parciais de 17-25, 26-24, 14-25 e 25-27.

E, assim como em 2003, quando ainda tinha a extraordinária geração que se sagraria campeã olímpica um ano depois, em Atenas, o Brasil ganhou o título em terras japonesas de maneira invicta. Com uma campanha excepcional, alcançou 10 vitórias em 10 partidas, somando 29 pontos. Neste percurso, passou por outros favoritos, como Estados Unidos e Polônia.

Para atingir tal feito, a equipe se valeu, mais uma vez, da regularidade do oposto Alan, o maior protagonista do Brasil não apenas na competição como em toda a temporada 2019 de seleções, e do consagrado ponta naturalizado brasileiro Leal, que fez sua estreia com a camisa amarela neste ano.

Alan não sentiu o peso por substituir o campeão olímpico Wallace e voltou a se sobressair neste confronto contra o Japão, anotando 16 pontos. Já Leal foi o maior pontuador com 24 acertos. Lucarelli, que fez uma competição primorosa exercendo uma função muito mais tática, no fundo de quadra e no saque do que propriamente no ataque, saiu com 13.

Conheça o nosso programa de financiamento e concorra a prêmios

Com velocidade e a habitual eficiência no sistema defensivo, o time japonês, em sua melhor campanha na Copa do Mundo desde 1977, tentou manter o equilíbrio na partida contra os atuais campeões olímpicos. O Brasil, contudo, respondeu na mesma moeda: com ótimas coberturas na defesa e serenidade na virada de bola. Assim, sem muito esforço, o time de Renan Dal Zotto largou na frente na primeira parcial.

Copa do Mundo serviu para afirmação do oposto Alan na seleção brasileira

Os donos da casa, entretanto, endureceram bastante o jogo a partir da etapa complementar. Pressionando a linha de passe verde e amarela com um saque mais forçado – o técnico Renan chegou a mandar Maurício Borges à quadra no lugar de Leal -, os asiáticos também irritaram os atacantes brasileiros com um show de defesas. O crescimento no sideout (14 a 10 no set), especialmente do ponta Ishikawa e do ótimo oposto Nishida, também favoreceu o empate no duelo.

Sem se intimidar com o crescimento adversário no duelo, o Brasil abriu 8 a 1 rapidamente na terceira parcial, contando com uma excelente passagem de Lucarelli pelo saque. E foi através do serviço que a seleção sustentou com tranquilidade a enorme margem no placar que chegou a ser de 10 pontos (13 a 3). Assim, jogando com mais intensidade e paciência na construção das jogadas para concluir os pontos, o Brasil passeou no set.

O equilíbrio voltou a dar a tônica na parcial subsequente. Mais concentrada, a seleção japonesa seguiu testando a recepção brasileira, fazendo com que Renan apostasse novamente no passador Maurício Borges para executar o fundamento. Entretanto, os campeões olímpicos souberam administrar a ansiedade e, valorizando o padrão tático e a virada de bola, conseguiram fechar a partida em 3 a 1. Com isso, o Brasil encara a Itália nesta terça-feira (15), a partir das 3h, já com o ouro garantido.

Festa brasileira em Hiroshima

Mais do que a conquista da taça, no entanto, a torcida verde e amarela pode festejar o crescimento do Brasil às vésperas da Olimpíada de Tóquio. Não há como negar o progresso tático e coletivo da equipe sob o comando de Renan, que abocanhou o seu segundo título intercontinental com o Brasil – o primeiro foi a Copa dos Campeões de 2017.

Na Liga das Nações, competição que abriu a temporada, os brasileiros amargaram a quarta posição pelo segundo ano consecutivo e tiveram um desempenho irregular, sofrendo muito principalmente com o saque balanceado e a baixa produtividade do bloqueio.

A mesma inconstância apareceu no Pré-Olímpico de agosto – torneio em que o Brasil se viu em apuros e teve que arrancar, na marra, a vaga para os Jogos de Tóquio, suando para vencer a Bulgária em uma virada inesquecível dentro da casa do rival – e no Campeonato Sul-Americano, competição onde a seleção, com alguns titulares, quase perdeu a hegemonia local e só conseguiu bater a desfalcada Argentina de Marcelo Mendez no tie-break em outro duelo que certamente já entrou para os anais do vôlei.

É verdade que a linha de passe, formada nesta Copa do Mundo por Leal, Lucarelli e Thales, voltou a oscilar na recepção do saque flutuante – quem assistiu à partida do Brasil contra a Polônia teve a exata noção disso. Contudo, o período de treinamentos em Saquarema surtiu o efeito esperado e o time demonstrou uma evolução expressiva no fundamento.

Sob este aspecto, deve-se apontar a melhora do líbero Thales, jogador que foi justamente criticado pela inconsistência em quase toda a temporada. Nesta Copa do Japão, o atleta mostrou personalidade ao saber absorver as críticas, dando a resposta em quadra com uma performance que deu mais segurança e estabilidade ao conjunto brasileiro.

Deste modo, diferentemente da seleção feminina, que terminou a temporada fora do pódio e com inúmeros pontos de interrogação, a equipe de Renan mostrou estar, às vésperas da Olimpíada, com um conjunto mais azeitado e em um estágio mais avançado de preparação para defender o título no ano que vem em Tóquio.

]]>
0
Brasil vence Polônia no tie-break e se aproxima do título da Copa do Mundo http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/13/brasil-x-polonia-copa-do-mundo-volei-masculino/ http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/13/brasil-x-polonia-copa-do-mundo-volei-masculino/#respond Sun, 13 Oct 2019 08:51:55 +0000 http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/?p=18721

Destaque desta Copa do Mundo, Alan brilhou mais uma vez pela seleção brasileira (Fotos: Divulgação/FIVB)

Não foi tão tranquilo como diante dos Estados Unidos, mas a seleção brasileira masculina de vôlei passou por mais um teste de fogo ao bater a Polônia na madrugada deste domingo (13) por 3 sets a 2. As parciais foram de 19-25, 25-23, 25-19, 16-25 e 15-11.

Com o resultado, o time do técnico Renan Dal Zotto não só manteve a invencibilidade no torneio como ficou muito próximo do título da Copa do Mundo, que pode ser garantido já nesta segunda (14) com uma rodada de antecipação: para isso, os atuais campeões olímpicos precisam bater o Japão, dono da casa, em jogo programado para começar às 7h20 (horário de Brasília).

E mais:

 Conheça nosso programa de financiamento coletivo e concorra a prêmios

No primeiro duelo oficial por seleções entre os cubanos naturalizados Yoandy Leal e Wilfredo León (ambos já haviam se enfrentado em um torneio amistoso), quem brilhou foi Alan. Substituto do consagrado Wallace, que ganhou uma folga neste penúltimo ano do ciclo olímpico, o oposto brilhou mais uma vez na Copa do Mundo, marcando 27 pontos. Leal, que se destacou no tie-break, ficou com 21 e León colocou 17 bolas no chão.

Para o duelo decisivo contra o Brasil, o técnico belga Vital Heynen abdicou do oposto Bartosz Kurek, que, usando o torneio para se recuperar de uma grave lesão nas costas, sequer ficou no banco de reservas. Exceção feita a ele e ao central Piotr Nowakowski, que nem foi à Ásia, o restante da seleção bicampeã mundial em quadra foi a considerada titular.

Comandado pelo líbero Tales, sistema defensivo do Brasil fez um grande trabalho

De olho em seu terceiro título na história da competição, a seleção brasileira sofreu com altos e baixos. No primeiro e no quarto sets, por exemplo, a equipe  voltou a apresentar falhas no recepção do saque balanceado, o principal problema visto ao longo da atual temporada. Isso facilitou a vida do bloqueio polonês, que também contou com um Bruno impreciso e insistindo erroneamente no jogo com os centrais – na penúltima parcial, por exemplo, a situação no placar ficou tão desfavorável que Renan aproveitou para dar um descanso à maior parte dos titulares.

Por outro lado, o sistema defensivo brasileiro teve uma atuação excepcional, o que foi fundamental para que a equipe neutralizasse, pouco a pouco, o forte ataque rival, composto também pelo bom oposto Maciej Muzaj e o polêmico, mas talentoso ponteiro Michal Kubiak. Para completar, o time de Renan apresentou enorme eficiência nos contra-ataques. Destaque ainda para o trabalho “estrutural” feito por Ricardo Lucarelli, que compensou o dia ruim no ataque (apenas quatro pontos em 17 tentativas) com uma boa atuação no fundo de quadra.

O aspecto mental foi outro ponto positivo dos brasileiros, que não se perderam no jogo nem mesmo após perderem dois sets de forma contundente, algo que não ocorreu pelo lado polonês, que cometeu erros bobos em momentos importantes da partida. A julgar pela atuação do time em todo o torneio, é difícil imaginar que a equipe perca o título desta Copa do Mundo, que certamente dará moral ao Brasil às vésperas da Olimpíada de Tóquio.

Siga o Voleicast no Instagram: @voleicast

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

]]>
0
Brasil e Polônia fazem “final informal” da Copa do Mundo de vôlei masculino http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/12/brasil-e-polonia-fazem-final-informal-da-copa-do-mundo-de-volei-masculino/ http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/12/brasil-e-polonia-fazem-final-informal-da-copa-do-mundo-de-volei-masculino/#respond Sat, 12 Oct 2019 14:24:58 +0000 http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/?p=18712

Brasil, de Renan Dal Zotto, vem fazendo excelente campanha na Copa do Mundo (Fotos: Divulgação/FIVB)

Em um campeonato de pontos corridos não há uma final propriamente dita, mas alguns jogos valem por uma decisão. É o caso do duelo entre as seleções de vôlei masculino de Brasil e Polônia, que se enfrentam às 3 horas da manhã deste domingo (13) pela Copa do Mundo.

Respectivamente líderes e vice-líderes da competição, brasileiros e poloneses devem definir nesta partida quem ficará com o título do último grande torneio entre países de 2019. Ainda invicta e com apenas dois sets perdidos em toda a disputa, a equipe comandada por Renan Dal Zotto leva ligeira vantagem, mantendo boas chances de levantar a taça mesmo com uma derrota no tie-break.

Do outro lado da rede, porém, haverá um adversário duríssimo, vencedor dos dois últimos Campeonatos Mundiais derrotando justamente o Brasil em ambas as ocasiões e que agora conta com o reforço do cubano naturalizado polonês Wilfredo León, fenômeno que passou a se destacar no vôlei profissional ainda adolescente.

E mais:

 No Voleicast #9: Seleção masculina tem bom início, mas ainda será testada na Copa do Mundo

 Conheça nosso programa de financiamento coletivo e concorra a prêmios

Mas o Brasil também conta com um reforço cubano: Yoandy Leal, que desde o início da atual temporada está liberado para vestir a camisa amarela em competições internacionais. Ao lado do central Lucão e do oposto Alan, que vem aproveitando a folga de Wallace de forma brilhante, o ponteiro tem sido um dos destaques da seleção nesta Copa do Mundo.

No primeiro encontro entre ambos por seleções, há pouco mais de dois meses em um torneio amistoso, deu Brasil por 3 a 1. E, para repetir o bom resultado no Japão, o caminho passa por foco e muito estudo dos rivais. “Se quisermos jogar bem contra a Polônia, que é um time muito forte, não podemos cometer muitos erros, dar pontos de graça. Temos que atuar bem não só contra o ótimo sistema de bloqueio-defesa deles, mas em todos os fundamentos”, destacou o técnico brasileiro, Renan Dal Zotto.

Comandada pelo belga Vital Heynen, Polônia já perdeu para os EUA nesta Copa do Mundo

Pelo lado da Polônia, a tática é jogar o favoritismo para o lado brasileiro. Técnico do time, o belga Vital Heynen deu, inclusive, a entender que pode não entrar no jogo com força máxima, já que vem aproveitando o torneio para fazer uma série de testes com o elenco, inclusive com o oposto Kurek, que recentemente passou por uma grave lesão nas costas.

“Eu acho que o Brasil já abriu tanta vantagem na tabela, que, mesmo que a gente vença, eles serão os campeões. Nosso plano aqui na Copa do Mundo é conseguir fazer boas partidas, rodar muitos atletas e é isso que vamos fazer no próximo jogo: um monte de caras jogando e ver se eles conseguem ir bem. O Brasil merece ser campeão porque foi o melhor time até agora. Da nossa parte, vamos ver onde estamos”, afirmou.

Independente disto, a expectativa é de uma grande partida de vôlei em Hiroshima.  Vale lembrar que, depois do jogo contra a Polônia, o Brasil ainda enfrentará o Japão (segunda, às 7h20) e a Itália (terça, às 3h), que joga o torneio com sua equipe reserva. Já a Polônia fecha sua participação na disputa contra Canadá e Irã, nos mesmos dias.

Siga o Voleicast no Instagram: @voleicast

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

]]>
0
Participe do sorteio do livro “10 anos Sada Cruzeiro” http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/11/participe-do-sorteio-do-livro-10-anos-sada-cruzeiro/ http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/11/participe-do-sorteio-do-livro-10-anos-sada-cruzeiro/#respond Fri, 11 Oct 2019 18:32:44 +0000 http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/?p=18706

“10 anos Sada Cruzeiro” conta a história do clube mais vencedor do vôlei nacional (Fotos: Saída de Rede)

Você sabia que uma das vantagens de ser apoiador do Voleicast, o nosso podcast de vôlei, é poder participar de sorteios de livros e camisas de vôlei sensacionais?

Pois um dos títulos sorteados no nosso programa de financiamento coletivo será o “10 anos Sada Cruzeiro”, livro escrito pela jornalista Andréia Santos para celebrar uma década – de 2006 a 2016 – de existência do mais vitorioso time da história do vôlei brasileiro.

Em 176 páginas, a obra descreve o percurso do Sada Cruzeiro dentro e fora das quadras, mostrando como a equipe azul se tornou hexacampeã da Superliga e tricampeã mundial, acumulando números que falam por si. No período entre 2010 a 2016, o time mineiro disputou 30 competições, chegou a 28 finais e conquistou 24 troféus.

Siga o Voleicast no Instagram: @voleicast

Ao assinar o Voleicast com valores a partir de R$ 15 mensais, você pode concorrer a um exemplar da edição especial com capa dura, imagens inéditas, histórias de bastidores e depoimentos de personagens importantes nesta trajetória.

Vale lembrar que além de garantir presença nos sorteios, você terá acesso antecipado à programação do Voleicast e também poderá ser selecionado(a) para interagir conosco em um episódio do podcast com uma pergunta e/ou comentário.

O apoiador ainda passará automaticamente a fazer parte de um grupo fechado no Facebook com acesso a conteúdo privado e direito a participar de lives periódicas exclusivas sobre vôlei.

O livro traz imagens exclusivas e depoimentos de personagens históricos do time mineiro

Confira abaixo as faixas de assinaturas/recompensas e escolha aquela que for mais acessível ao seu bolso:

Para 7 reais mensais ou mais – DEFESA

– Acesso privado à programação do VOLEICAST;
– Presença dos assinantes em um grupo exclusivo do Facebook com direito a participar de lives semanais em tempo e horário definidos com antecedência.

Para 15 reais mensais ou mais – LEVANTAMENTO

– Acesso privado à programação do VOLEICAST;
– Presença dos assinantes em um grupo exclusivo do Facebook com direito a participar de lives semanais em tempo e horário definidos com antecedência;
– O assinante poderá ser selecionado para o quadro “Saída de Rede responde”, colaborando com um comentário e/ou pergunta durante os episódios;
– Presença em sorteios MENSAIS de um livro sobre esportes (frete grátis)*.

*Frete grátis para todo o Brasil

Para 30 reais mensais ou mais – CORTADA

– Acesso privado à nossa programação do VOLEICAST;
– Presença dos assinantes em um grupo exclusivo do Facebook com direito a participar de lives semanais em tempo e horário definidos com antecedência;
– O assinante poderá ser selecionado para o quadro “Saída de Rede responde”, colaborando com um comentário e/ou pergunta durante os episódios;
– Presença em sorteios MENSAIS de um livro sobre esportes (frete grátis);
– Participação em sorteios MENSAIS de uma camisa à escolha da loja Saque Viagem (frete grátis)*.

*Frete grátis para todo o Brasil

Agora clique aqui e faça a sua assinatura no Catarse!

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

]]>
0
Brasil mantém liderança na Copa do Mundo com vitória fácil contra a Tunísia http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/11/brasil-mantem-lideranca-na-copa-do-mundo-com-vitoria-facil-contra-a-tunisia/ http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/2019/10/11/brasil-mantem-lideranca-na-copa-do-mundo-com-vitoria-facil-contra-a-tunisia/#respond Fri, 11 Oct 2019 06:32:42 +0000 http://saidaderede.blogosfera.uol.com.br/?p=18692

Seleção masculina venceu a Tunísia com tranquilidade nesta sexta-feira (11) (Fotos: Divulgação/FIVB)

Canadá, Austrália, Egito, Rússia, Irã, Argentina e Estados Unidos. Embalada por estas sete vitórias consecutivas na Copa do Mundo, a seleção brasileira masculina de vôlei voltou a vencer. A “vítima” desta sexta-feira (11) foi a lanterna Tunísia, derrotada em sets diretos (17-25, 14-25 e 13-25) com extrema facilidade. Com o resultado positivo, o Brasil chegou aos 24 pontos, preservando a invencibilidade e a liderança no torneio.

O técnico Renan Dal Zotto aproveitou para poupar alguns de seus titulares e deu mais ritmo aos suplentes Cachopa, Maurício Borges, Douglas Souza, Isac e Flávio. Alan e Thales foram mantidos. O oposto Felipe Roque e o líbero Maique também foram utilizados em alguns momentos na partida.

Com apenas dois sets perdidos em uma campanha irretocável até o momento na competição, a seleção vem demonstrando que o período de treinamentos antes do torneio Sul-Americano e da própria Copa do Mundo foram fundamentais para o crescimento da equipe em todos os fundamentos.

E mais:

No Voleicast #9: Seleção masculina tem bom início, mas ainda será testada na Copa do Mundo

Siga o Voleicast no Instagram: @voleicast

E foi justamente com a eficiência do bloqueio, amortecendo diversas bolas, e da recepção – com uma linha de passe bastante equilibrada com Maurício Borges, Douglas Souza e Thales – que o jogo brasileiro fluiu plenamente desde o começo. Mesmo com os reservas, a seleção atuou com seriedade e intensidade, explorando a fragilidade técnica do conjunto africano.

Exercendo amplo domínio com muito volume de jogo e aproveitamento na virada de bola – na segunda parcial, por exemplo, o placar ficou em assustadores 18 a 6 no ataque -, os comandados de Renan também foram superiores no saque, quebrando a recepção tunisiana em diversos momentos do jogo.

Mais relaxada em função da vulnerabilidade do adversário, a seleção diminuiu um pouco o ritmo e a potência do saque na terceira etapa. Contudo, a concentração e a paciência na construção do jogo foram preservadas. Grande responsável pela autoridade verde e amarela, o levantador Cachopa esteve em um dia inspirado, realizando um excelente trabalho tanto na distribuição quanto na precisão dos movimentos.

O líbero Thales fez mais um jogo muito bom tanto na recepção quanto na defesa

Com isso, a superioridade brasileira ficou escancarada em todos os fundamentos. No ataque, impressionantes 47 a 27. O time de Renan também bloqueou mais (7 a 4) e foi mais competente no serviço (foram 4 aces contra 1 do oponente). Além disso, deu menos pontos de presente ao rival (12 contra 17).

O maior pontuador do confronto foi o oposto tunisiano Nagga. Entre os brasileiros, o central Isac, em grande exibição, e o ponta Douglas Souza marcaram 13 e 11 vezes, respectivamente. O oposto Alan, destaque ofensivo na competição, apareceu logo em seguida com 10 acertos.

A seleção folga no sábado e volta à quadra da Hiroshima Green Arena no domingo (13), às 3h, para encarar a tricampeã mundial (bi consecutiva) Polônia em mais um confronto direto na disputa pelo ouro na Copa do Mundo.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

]]>
0