PUBLICIDADE
Topo

Quais foram as melhores jogadoras de 2019?

Janaína Faustino

27/12/2019 06h00

Às vésperas da Olimpíada de Tóquio, o Saída de Rede aponta quais atletas se destacaram no ano (Fotos: Divulgação/FIVB)

Com a Olimpíada de Tóquio logo ali, 2019 foi um período de incertezas para algumas jogadoras – especialmente em função das lesões e, ainda, do baixo rendimento nos clubes e/ou nas seleções – e de consolidação para outras. Na escolha das melhores, o Saída de Rede levou em consideração a incrível regularidade e o momento de afirmação destas atletas que vêm, ano a ano, dominando as competições que disputam no cenário mundial. Na opinião do blog, ninguém jogou tanto quanto ou mais do que elas neste ano. Confira:

Paola Egonu

Egonu foi um dos grandes nomes do vôlei neste ano de 2019 (Fotos: Divulgação/FIVB)

Um dos maiores fenômenos do vôlei mundial, a italiana Paola Egonu já teve um 2018 espetacular. Para quem não lembra, a jogadora se sagrou vice-campeã mundial com a Azzurra, levou o prêmio de melhor oposta do campeonato e, com os 45 pontos marcados na semifinal contra a campeã olímpica China, se tornou a maior pontuadora de todos os tempos nas competições da Federação Internacional de Vôlei (FIVB).

Em 2019, Egonu não deixou por menos. Com a camisa do italiano Novara, ganhou a Champions League na temporada 2018/2019, batendo na final o Conegliano, seu atual clube. Ela marcou 27 pontos e terminou como a MVP do torneio. Já na seleção, exerceu papel decisivo na classificação italiana para a Olimpíada do ano que vem, sendo, novamente, a maior pontuadora em todas as partidas do Pré-Olímpico – ela pontuou 25 vezes somente contra a Holanda.

Com os seus 21 anos recém-completados, voltou a brilhar no final do ano, sendo o maior destaque na conquista do título inédito de campeão mundial de clubes do Conegliano. Além de ter anotado 38 pontos na semifinal contra o tricampeão VakifBank, ela também teve uma atuação de gala na decisão diante do Eczacibasi, outra potência turca, ao colocar 33 bolas no chão. Terminou o campeonato como MVP e, seguramente, deverá ser uma das grandes estrelas dos Jogos de Tóquio.

E mais:

Para o bem e para o mal: os fatos que marcaram o vôlei em 2019

O ano ruim do vôlei feminino brasileiro no Mundial de Clubes

Tijana Boskovic

Boskovic é o maior nome da seleção sérvia na atualidade

Considerada uma das melhores jogadoras do planeta, a oposta Tijana Boskovic também não tem do que reclamar neste ano. Vice-campeã olímpica em 2016 e campeã mundial no ano passado, a atleta, que assustou o mundo ao desbancar, aos 17 anos, a talentosa Jovana Brakosevic na seleção sérvia, é outra que não cansa de derrubar recordes e acumular prêmios individuais.

Aos 22 anos, Boskovic é mais do que uma realidade. Eleita a melhor jogadora do campeonato turco na temporada 2018/2019, segue como uma peça indispensável no esquema do técnico Zoran Terzic. Com rendimento excepcional tanto no ataque quanto no saque, foi determinante no Pré-Olímpico para que sua equipe se garantisse nos Jogos, e ainda ajudou o time dos Bálcãs a se sagrar tricampeão europeu (bi consecutivo), vencendo a aguerrida Turquia na decisão.

Boskovic anotou 23 pontos na final, levou o troféu de MVP da competição pela segunda vez (já havia conquistado em 2017) e silenciou a multidão que empurrava a seleção da casa na capital Ancara. Já no Mundial de Clubes, o seu Eczacibasi terminou com o vice-campeonato, mas, ainda assim, ela pontuou 27 vezes contra o Conegliano. Como a rival Egonu, a oposta tem tudo para se consagrar na Olimpíada do Japão.

Você concorda? Discorda? Na sua opinião, quem foram as melhores jogadoras do ano? Deixe seu recado na caixa de comentários!

Siga o Voleicast no Instagram: @voleicast

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.

Blog Saída de Rede