PUBLICIDADE
Topo

Voleicast: qual é o saldo da participação do Brasil nos Mundiais de Clubes?

Janaína Faustino

11/12/2019 09h37

Vice-campeão na temporada passada, o Minas terminou em quinto lugar neste Mundial (Fotos: Divulgação/FIVB)

Encerrados no último domingo (8), as edições 2019 dos Campeonatos Mundiais de Clubes consagraram clubes italianos. No feminino, o Conegliano venceu o turco Eczacibasi em Shaoxing, na China, por 3 sets a 1, ganhando o caneco pela primeira vez em sua história. O mesmo aconteceu com o Lube Civitanova, que, após bater na trave em 2017 e 2018, superou o tricampeão Sada Cruzeiro, em Betim (MG), pelo mesmo placar.

Neste 16º programa do Voleicast, podcast de vôlei do Saída de Rede, as jornalistas Carolina Canossa e Janaina Faustino fazem um balanço da participação dos brasileiros na competição. Representantes nacionais na versão feminina, os mineiros Itambé Minas (vice-campeão em 2018) e Dentil Praia Clube somaram 3 revezes em 3 jogos na primeira fase e terminaram na quinta e sexta colocações, respectivamente. Em função do nível dos adversários no mais equilibrado campeonato dos últimos anos, a posição final dos times, no entanto, não foi tão surpreendente.

Por outro lado, as jornalistas avaliam que as duas equipes tiveram um desempenho bem irregular no torneio, sobretudo no ataque. Pelo lado minastenista, apesar da melhora na reta final, a dupla de ponteiras Deja McClendon e Roslandy Acosta, recém-contratada para suprir a falta de Natália e Gabi, não correspondeu à altura, desequilibrando o esquema tático do italiano Nicola Negro, que também sofreu com a falta de uma bola de segurança pela saída.

E mais:

Sob grave suspeita, vôlei russo poderá perder ainda mais prestígio se não participar dos Jogos Olímpicos de Tóquio

Voleicast 15: quais são as chances do Cruzeiro no Mundial de Clubes masculino?

Voleicast 14: quais são as chances do Brasil no Mundial de Clubes feminino?

Já o conjunto uberlandense, a despeito do potencial maior do que o do rival regional para beliscar um resultado mais expressivo no campeonato em função da qualidade do plantel formado por nomes, como a dominicana Brayelin Martínez, as campeãs olímpicas Fernanda Garay e Walewska, além da campeã mundial Nicole Fawcett, também teve uma performance abaixo, enfrentando dificuldades na virada de bola.

Apesar da derrota na final, o Cruzeiro teve uma performance elogiável no Mundial

Entre os homens, o hexacampeão nacional Sada Cruzeiro sucumbiu diante do Civitanova, dos brasileiros Bruno e Leal. Um dos melhores times do mundo – campeão italiano e da Champions League na temporada 2018/2019 –, o septeto europeu teve uma atuação muito constante na cidade de Betim em busca do seu primeiro título.

Apesar do vice, as jornalistas pontuam que o saldo foi positivo para o time liderado pelo argentino Marcelo Mendez. Em reconstrução após o desligamento e a consequente chegada de vários jogadores, como os ponteiros Facundo Conte, que fez um ótimo Mundial, e Gordon Perrin, a equipe celeste conseguiu mostrar um entrosamento e um padrão de jogo que não vinha apresentando neste começo de Superliga. Neste sentido, a tendência é que o Cruzeiro cresça de produção no decorrer da temporada.

Durante o bate-papo, as jornalistas comentam, ainda, a performance da estrela italiana Paola Egonu no campeonato, jogadora que vem escrevendo uma bela história no vôlei, e o triste episódio de importunação sexual ocorrido em Belo Horizonte (MG), envolvendo outro astro – ao que parece, apenas dentro das quatro linhas –, o ponteiro francês Earvin Ngapeth.

É só apertar o play abaixo:

Também é possível ouvir o Voleicast no seu celular através dos principais agregadores de podcast do mercado, caso do Spotify, Google Podcasts, Podcasts da Apple, Breaker e PocketCasts.

E você, concorda com as jornalistas? Qual avaliação você faz da participação dos times brasileiros no Mundial de Clubes feminino e masculino? Diga o que acha através da caixa de comentários abaixo, na nossa fanpage no Facebook, no nosso Twitter, no nosso Instagram ou pelo e-mail saidaderede@uol.com.br. Você também pode aproveitar a oportunidade para dar sugestões, fazer críticas ou até mesmo elogiar o Voleicast.

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.

Blog Saída de Rede