Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Brasil perde para os EUA e conhece adversário da semi na Liga das Nações

Janaína Faustino

05/07/2019 06h08

Em jogo que serviu apenas para definição de posições no grupo B da Liga das Nações, a seleção feminina foi derrotada pela equipe americana nesta sexta-feira (5) (Fotos: Divulgação/FIVB)

Com a vaga garantida nas semifinais da Liga das Nações, a seleção feminina de vôlei voltou à quadra do Centro Olímpico de Nanquim, na China, na madrugada desta sexta-feira (5). O adversário, desta vez, foi o time norte-americano, atual campeão da competição que também já está classificado. O clássico serviu apenas para definir qual das duas seleções passaria em primeiro lugar no grupo B.

Por isso, de olho nos confrontos das semifinais, tanto José Roberto Guimarães quanto Karch Kiraly preferiram preservar algumas das atletas que iniciaram a fase final como titulares. E os EUA mostraram que têm no momento um plantel mais qualificado do que o Brasil, batendo o rival por 3 a 1, parciais de 25-18, 25-19, 20-25 e 25-21. Com isso, devolveram a derrota sofrida em casa ainda na etapa classificatória.

Depois de um começo parelho de primeira parcial, as atuais campeãs da Liga das Nações assumiram a liderança no marcador com facilidade apostando em um ritmo de jogo acelerado, além de um saque agressivo e balanceado para explorar a fragilidade da linha de passe brasileira principalmente com Tainara e Amanda.

Leia mais:

Em rodada desastrosa, quatro duplas brasileiras são eliminadas do Mundial

Em um confronto com boas defesas e volume de jogo de ambos os lados, as americanas, apesar de terem dado mais pontos em falhas no set, se destacaram mais tanto na virada de bola (18 a 11 no fundamento) e nos contra-ataques quanto no bloqueio (5 a 1).

As comandadas de Karch Kiraly seguiram cometendo mais erros, sobretudo de saque, do que o time brasileiro na segunda parcial. Contudo, compensaram as falhas mostrando superioridade no sistema ofensivo. Destaque para a ótima e promissora oposta reserva Jordan Thompson, que atuou no lugar de Andrea Drews e saiu do cotejo como a maior pontuadora com incríveis 33 acertos.

Os EUA ainda se sobressaíram no saque, que voltou a fazer a diferença nos momentos decisivos do segundo set. Em contrapartida, o serviço brasileiro pouco incomodou a recepção rival, o que possibilitou uma construção tranquila das jogadas da levantadora Carlini.

A seleção retornou mais concentrada para a terceira e quarta parciais, melhorando a performance tanto no saque quanto no bloqueio, que não se converteu em pontos, mas amorteceu bolas importantes. A equipe ainda contou com a quantidade expressiva de pontos que recebeu em erros do adversário (foram 28 ao total contra apenas 14 das brasileiras).

A oposta Thompson pontuou 33 vezes no jogo

Vale mencionar a performance de Lorenne na saída de rede, com 21 pontos anotados, e a precisão da levantadora Roberta na armação. Entretanto, o Brasil continuou deixando bastante a desejar na virada de bola (fez apenas 49 pontos de ataque contra 64 das rivais), além de ter pecado na recepção em momentos-chave da quarta etapa.

Entre as americanas, as pontas Larson e Foecke também apareceram no ataque com 13 e 12 acertos. Pelo lado brasileiro, Tainara e Amanda pontuaram 10 e 8 vezes, respectivamente.

Com o resultado, a seleção passou em segundo lugar na chave e enfrentará, neste sábado (6), às 4h, a Turquia, medalhista de prata no torneio do ano passado, que surpreendeu ao superar com facilidade a vice-campeã mundial Itália em sets diretos.

Com o triunfo sobre as italianas, as turcas avançaram à semifinal na primeira colocação. É importante lembrar que a equipe brasileira vem de duas derrotas para o time turco: a primeira foi também na semi da Liga das Nações 2018 por 3 sets a 0 e a segunda no encerramento da etapa classificatória desta edição por 3 a 2.

ITÁLIA ELIMINADA

No segundo confronto do dia, a Azzurra, considerada uma das favoritas ao título, acabou eliminada da Liga das Nações de forma surpreendente ao ser superada por 3 a 1 (25-17, 25-22, 22-25 e 25-22) pela China que, mesmo jogando com o time B, se mostrou extremamente competitiva.

A estrela Paola Egonu, oposta italiana, se redimiu da performance bem abaixo no confronto contra as turcas e marcou 38 pontos. Entretanto, a alta pontuação não foi suficiente. Deste modo, as donas da casa se classificaram em segundo lugar no grupo A e vão com moral encarar os EUA às 8h30 deste sábado. Curiosamente, as semifinais serão as mesmas do torneio no ano passado. Os jogos terão transmissão do SporTV2.

Atualizado às 10h41

Ouça o segundo episódio do Voleicast, o podcast de vôlei do Saída de Rede

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter:@saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.