Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Tropeços elevam a temperatura no Sesi Bauru neste início de temporada

Janaína Faustino

14/11/2019 06h00

Um dos "grandes" da Superliga, o Sesi Bauru segue em busca de recuperação (Foto: Ricardo Bufolin/ECP)

A maré não anda boa para o lado do Sesi Bauru. Um dos times que mais fez investimentos para esta temporada 2019/2020 em busca do sonhado título inédito da Superliga feminina, Bauru passou, na estreia da competição, por mais um tropeço, aumentando ainda mais a pressão sobre o treinador Anderson Rodrigues e suas jogadoras.

O revés por 3 sets a 2 (parciais de 25-22, 26-24, 23-25, 17-25 e 15-10) diante do Pinheiros, na casa do rival, demonstrou que a equipe do interior paulista, que tem em seu elenco atletas de peso, como a oposta Polina Rahimova, a levantadora campeã olímpica Dani Lins e a ponta/oposta Tifanny, vem enfrentando dificuldades contra adversários que, pelo menos no papel, são tecnicamente inferiores.

Obviamente, não podemos ignorar o fato de estarmos em começo de temporada, o que dá margem a certa oscilação. Contudo, na partida desta terça-feira (12), o que se viu foi um time hesitante que não obteve sucesso na tentativa de impor o seu ritmo de jogo e chegou a estar perdendo por 2 a 0 no placar.

E mais:

Ouça no Voleicast #13: o equilíbrio de forças na Superliga feminina 2019/2020

Zé Roberto: "O Paulista foi um dos títulos mais importantes da minha vida"

Contando com o poder de decisão de Rahimova na saída de rede – a atacante azeri anotou 30 pontos no jogo –, Bauru conseguiu empatar e levar o jogo para o tie-break. A quantidade enorme de erros (34 ao total), no entanto, acabou freando a reação. O destaque de Pinheiros foi a oposta Edinara – responsável por 25 acertos –, que deixou a quadra carregada em função de uma lesão no joelho esquerdo.

O fato é que, em busca de uma identidade, o Sesi, que também contratou recentemente a ponta norte-americana Sarah Wilhite e a meio de rede Mayhara, ex-Sesc-RJ, parece sofrer com as frequentes mudanças efetuadas no time titular, o que pode prejudicar a continuidade e o entrosamento entre as atletas.

Semifinalistas na Superliga 2018/2019, quando eliminaram as cariocas do tradicional Sesc-RJ nas quartas de final, as bauruenses já haviam amargado uma dura derrota na semana passada. Depois de passarem invictas pela primeira fase do Campeonato Paulista, somando 6 vitórias em 6 jogos, as comandadas de Anderson Rodrigues venceram o São Paulo Barueri, equipe sensação deste começo de temporada, no confronto de ida da semi por 3 sets a 0.

Na partida de volta, entretanto, o time, campeão paulista no ano passado, foi surpreendido em casa pelo grupo da Grande São Paulo, repleto de jovens valores recém-chegados da base, e acabou atropelado de virada por 4 a 0 (3 a 0 no tempo normal e o golden set). Na fase seguinte, a equipe de José Roberto Guimarães ainda bateu o Osasco Audax e levou o primeiro título paulista. Sem dúvida, são revezes difíceis de digerir para uma equipe montada para brigar com os "grandes" pelos títulos da temporada.

Assim, tentando espantar a má fase, o Sesi volta à quadra na sexta-feira (15) para enfrentar o Curitiba, no ginásio Panela de Pressão, em Bauru, em jogo válido pela segunda rodada da Superliga.

Siga o Voleicast no Instagram: @voleicast

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.

Blog Saída de Rede