Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Virada incrível do São Paulo é uma das grandes vitórias de Zé Roberto

Carolina Canossa

03/11/2019 17h54

Sem o mesmo orçamento dos adversários, Zé Roberto montou um elenco com atletas da nova geração (Fotos: Rubens Chiri/São Paulo FC.net)

O segundo jogo da semifinal do Campeonato Paulista de vôlei feminino, entre Sesi Bauru e São Paulo/Barueri parecia mera formalidade: vindo de um 3 a 0 na primeira partida, com uma campanha bem melhor ao longo da disputa e um orçamento superior do das adversárias, o time do interior era franco favorito para chegar à grande decisão. Mas, numa daquelas histórias que o esporte é capaz de nos proporcionar, o time de José Roberto Guimarães fez uma partida incrível e, depois de devolver o 3 a 0 (25-19, 25-19 e 25-20), faturou o Golden Set por 25-16 para sacramentar a zebra.

Foi, sem dúvida alguma, um dos maiores jogos da carreira do experiente técnico, que também dirige a seleção brasileira feminina. O feito se torna ainda mais brilhante quando se leva em conta que o São Paulo é formado por jogadoras jovens, as quais, espera-se, serão o futuro do voleibol nacional. Neste jogo, em especial, destacou-se a linha de passe, através da líbero Nyeme e da ponteira Maira, permitindo que a levantadora Juma acionasse com qualidade a oposta Lorenne, que havia se destacado com a seleção este ano, e a ponteira Tainara, uma atleta que Zé Roberto há tempos elogia em conversas informais com a imprensa especializada.

"Jogamos como um time. Cada vez que uma errava, a outra aparecia para consertar. Agora, vamos chegar para a final e não levar este resultado como um peso, pelo fato de termos eliminado o atual campeão. Temos que tentar jogar soltas como fizemos aqui, a gente se divertiu jogando", comemorou Juma. Tainara também fez questão de elogiar o espírito coletivo da equipe. "Estivemos muito unidas neste jogo, nos mostramos focadas o tempo todo. A responsabilidade era toda delas, mas felizmente conseguimos nos superar. Fizemos um jogo excelente, colocar um 4 a 0 em uma equipe como o Bauru não é fácil. Agora, vamos para a final", afirmou.

E mais:

 Oposta no Sesc, Tandara se diz feliz e disposta a ajudar o Brasil na ponta

 Voleicast #11: Bernardinho e Zé Roberto não são amigos. E daí?

 Praia Clube não dá chance ao Minas e é campeão da Supercopa

Na final, cujas partidas serão disputadas na terça (5) e sexta (8), sempre às 21h30, Barueri terá pela frente o "vizinho" Vôlei Osasco-Audax, que se classificou com duas vitórias sobre o Pinheiros, a primeira no tie-break na noite de quarta (30) e a segunda na tarde deste domingo (3) por 3 a 1 (23-25, 25-17, 25-21 e 25-22).

"Jogos assim fortalecem a equipe, fazem com que a gente tenha um feedback do que tem que ser melhorado. Estou muito satisfeito com a linha de passe da equipe. Ainda podemos evoluir muito, especialmente no ataque. Temos muita margem para crescimento. E o time tem trabalhado bastante nos momentos que dá, pois o calendário é apertado. A torcida nos empurrou o tempo todos e conseguimos uma virada incrível no quarto set. Essa vitória e mais essa final é para a cidade de Osasco", comentou o técnico Luizomar de Moura, que saiu da quadra direto para uma reunião com a comissão técnica para traçar a estratégia para a decisão.

Na decisão, São Paulo terá pela frente o tradicional Vôlei Osasco-Audax

Já a central Bia exaltou os 3.800 torcedores que lotaram o ginásio José Liberatti. "Sabíamos que seria um jogo difícil. O Pinheiros tem um time mais entrosado, com uma defesa muito boa. Mas hoje a nossa torcida deu um show. Quem estava aqui, em algum momento, se arrepiou com a força do nosso torcedor. Também conseguimos jogar melhor que na primeira rodada da semifinal, com um sistema defensivo melhor. Nosso time ainda tem muito a crescer, melhorar e evoluir. Esse foi o segundo jogo que o Luizomar teve todas as peças à disposição e vamos em frente", analisou.

SADA CAMPEÃO MINEIRO DE NOVO

Quem também brilhou neste fim de semana foi o Sada Cruzeiro, que faturou o 11o título mineiro de sua história (décimo consecutivo) ao bater o Fiat/Minas na decisão por 3 sets a 0, triplo 25-19.

"A temporada é longa e demos um primeiro e importante passo para a nossa equipe ganhar moral e saber que está no caminho certo. E aos pouquinhos a gente vai crescendo, ganhando cara. Cada partida é um tijolinho que vamos colocando na construção da nossa casa e, pouco a pouco, colocamos muito bem os primeiros da temporada. Deixamos tudo em quadra, colocamos o coração, estudamos muito a equipe deles, mas acho que o principal foi olhar para o lado de cá. A maneira como a gente se portou do primeiro ao último ponto fez a diferença. Éssa atitude que a gente impôs hoje que foi o mais importante", comemorou o levantador Fernando Cachopa.

"A cada temporada essa equipe nos orgulha mais, pela consistência, pelo exemplo que os nossos jogadores representam para tantas pessoas, tantas crianças e jovens. O Campeonato Mineiro é uma conquista muito especial para nós e vamos com tudo para fazer o nosso melhor em todas as outras competições que virão", afirmou Vittorio Medioli, fundador do Sada Cruzeiro.

Siga o Voleicast no Instagram: @voleicast

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.

Blog Saída de Rede