Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Em duelo histórico, São Paulo bate Osasco e ganha inédito título paulista

Janaína Faustino

09/11/2019 00h04

Equipe do São Paulo conquistou título inédito (Fotos: Rubiens Chiri/São Paulo FC)

Foi um jogo digno de uma grande final. Em uma batalha duríssima travada no ginásio José Liberatti, em Osasco (SP), o São Paulo Barueri, jovem equipe comandada por José Roberto Guimarães – técnico da seleção brasileira feminina de vôlei -, fez história e bateu o rival em casa, em uma virada espetacular, conquistando o título do Campeonato Paulista pela primeira vez.

A equipe já havia demonstrado seu enorme potencial na competição ao vencer o até então favorito (e campeão) Sesi Bauru, em Bauru, em uma semifinal arrepiante. Não satisfeito, o time de Zé Roberto desafiou e derrotou em sets diretos mais um "grande", o tradicional Osasco Audax, no jogo de ida da final, disputado em Barueri, na última quarta-feira (6). Acreditando que seria possível, o time voltou a vencer o adversário com autoridade, garantindo o troféu inédito. O placar foi de 3 a 2, com parciais de 25-22, 25-20, 24-26, 22-25 e 11-15.

Em um primeiro set já emocionante e disputado ponto a ponto, a inexperiente equipe do São Paulo não demonstrou o esperado nervosismo diante da barulhenta e apaixonada torcida de Osasco. O tricolor paulista jogou de igual para igual com o adversário, apresentando um bom volume de jogo e uma recepção bastante estável.

E mais:

Voleicast #12: o equilíbrio de forças na Superliga masculina 2019/2020

Fabi: "Ser comentarista é como ser atleta. É preciso treinar"

O time de Luizomar de Moura, por outro lado, cometeu muitos erros – 11 no total contra 6 do rival -, mas acabou largando na frente no confronto se valendo da eficiência no bloqueio, que tocou em várias bolas, e da cubana Casanova, jogadora que foi o desafogo da levantadora Roberta na saída de rede ao anotar 8 pontos somente nesta parcial.

O bloqueio osasquense continuou perturbando o time de Zé Roberto na sequência da partida. Com muitas dificuldades na virada de bola, especialmente pela entrada de rede com Tainara e Maira, a equipe visitante também caiu no aproveitamento dos contra-ataques e se perdeu completamente na metade do segundo set, deixando o oponente abrir 17 a 7, a maior vantagem construída até então no jogo.

Apesar do atropelamento na segunda parcial, cabe ressaltar o trabalho realizado pelo sistema defensivo de Barueri, que subiu bolas importantes principalmente com a promissora líbero Nyeme. As comandadas de Zé Roberto ainda ensaiaram uma reação no set, sobretudo através da variação do saque e das boas combinações da armadora Juma com a meio de rede Mayany. Contudo, Osasco não deu chance ao azar e ampliou a vantagem com um erro da ponteira Maira.

Depois de ter sido dominado pelo oponente no set anterior, o São Paulo retornou melhor para o jogo. Desestabilizando a linha de recepção da equipe mandante com um saque acelerado – vale o destaque para a passagem da levantadora Juma pelo serviço –, o time cresceu no sideout e colocou uma diferença de 6 pontos na terceira parcial (12 a 6). O bloqueio tricolor, até então praticamente desaparecido na partida, também passou a funcionar a contento.

Tricolor paulista fez um grande jogo coletivo

O caldeirão do Liberatti, entretanto, voltou a ferver quando as donas da casa se recuperaram e empataram o jogo em 16 a 16. Com excelentes ralis, a parcial seguiu parelha até o fim. O São Paulo, no entanto, estabelecendo boa relação entre o bloqueio, em crescimento, e a defesa, acabou fazendo 2 a 1 no confronto.

Com personalidade, o jovem time do São Paulo não perdeu o foco na etapa subsequente. Enquanto o saque de Osasco teve uma queda significativa, o adversário passou a fazer pressão no fundamento, atrapalhando a distribuição da levantadora Pri Heldes, que substituiu Roberta. O ataque também se sobressaiu principalmente com a oposta Lorenne, que, assim como a colega Casanova, fez excelente partida, virando bolas difíceis. E foi justamente com um ataque de sua principal atacante na saída de rede que Barueri deixou tudo igual no placar.

Em um tie-break de tirar o fôlego, o São Paulo sacramentou a virada contando com o brilho de Lorenne. Assumindo a responsabilidade no ataque em momentos delicados da parcial, a jogadora, muito bem acionada pela armadora Juma, que também fez um ótimo jogo, se agigantou e praticamente decidiu a partida a favor de Barueri. Assim, com uma excepcional atuação coletiva, a equipe derrubou Osasco, evitando a conquista do 15o estadual da equipe.

Siga o Voleicast no Instagram: @voleicast

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.

Blog Saída de Rede