Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

De volta, Maurício Borges busca melhor ritmo para ajudar o Sesc e a seleção

Janaína Faustino

2030-01-20T19:06:00

30/01/2019 06h00

Totalmente recuperado depois de um longo período sem atuar, Maurício Borges busca alcançar a melhor forma (Foto: Erbs Jr)

Depois de um período de seis meses afastado das quadras, chegou o dia para o campeão olímpico Maurício Borges, ponteiro do Sesc-RJ. Recuperado da cirurgia realizada em julho passado a fim de reconstruir o ligamento cruzado anterior do joelho direito, quando sofreu um estiramento na Liga das Nações enquanto defendia a seleção brasileira, o jogador está liberado para voltar a atuar.

Relacionado para o jogo do Sesc contra o Corinthians-Guarulhos nesta quarta-feira (30), no Ginásio do Tijuca, em partida válida pela terceira rodada do returno da Superliga, Maurício falou, em entrevista ao Saída de Rede, sobre o processo de recuperação, a campanha de sua equipe – que atualmente ocupa a terceira colocação na tabela com 30 pontos, 10 vitórias e 3 derrotas – e a vontade de voltar a vestir a camisa verde-amarela.

Apesar da ansiedade pelo retorno, Maurício Borges afirma ter precisado de tranquilidade para não se precipitar, prejudicando o tratamento. Segundo ele, a chance de voltar às quadras é o prêmio por um trabalho bem realizado. "Foi um processo muito longo. Exigiu paciência, calma e muitos cuidados, para não queimarmos etapas. Sem pressa. Ninguém gosta de ficar tanto tempo na fisioterapia, fazendo os exercícios, mas isso faz parte da recuperação", ressalta.

Leia mais:

Primeiro turno da Superliga masculina reforça equilíbrio entre favoritos

Provável estreia de Leal e Pré-Olímpicos agitam calendário do vôlei em 2019

Sobre a confiança para voltar a executar todos os movimentos e saltar, ele explica que tem se esforçado bastante para alcançar a melhor forma. "Estou bem, faço todos os movimentos sem limitação alguma. Claro, ainda falta ritmo de jogo, o que só vou conseguir com o tempo e a sequência de jogos, mas estou confiante em relação à minha volta", destaca.

Importante peça para a seleção brasileira, o jogador espera poder colaborar neste ano de Pré-Olímpico (Foto: Divulgação/FIVB)

O técnico Giovane Gávio também enaltece a volta de seu atacante, salientando a importância do confronto desta quarta-feira contra o Corinthians – atual nono colocado no torneio – para as pretensões do Sesc, que segue em busca da liderança, atrás do Sesi-SP (segundo na classificação com 30 pontos, mas uma vitória a mais que a equipe carioca) e do líder Sada Cruzeiro, que soma 32. "Tivemos uma semana boa de trabalho, aos poucos a equipe está crescendo de novo e a presença do Borges entre os 14 relacionados traz ainda mais confiança e peso para a equipe num momento importante da temporada", acrescenta o treinador.

Em relação ao Sesc, Maurício se mostra confiante e acredita que o time ainda pode crescer bem mais. "Estamos fazendo uma boa campanha, uma temporada muito bacana, mas ainda temos muito a evoluir. Temos um time forte, que passou por alguns problemas de contusão, mas estão todos voltando, se recuperando, e daqui a pouco teremos força máxima".

O mesmo otimismo transparece quando o assunto é a seleção brasileira. O ponteiro, que não pôde participar do último Mundial em função da lesão, deseja estar em plenas condições físicas e técnicas para poder ajudar a equipe neste ano de Pré-Olímpico. "Espero estar bem fisicamente, jogando o meu melhor vôlei, para poder voltar à seleção brasileira. É sempre um orgulho defender o Brasil", conclui.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.