Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Com tetra da Copa Brasil, Sada Cruzeiro manda recado para os rivais

Carolina Canossa

2027-01-20T19:21:58

27/01/2019 21h58

Sada Cruzeiro: força continua, apesar das profundas mudanças (Foto: Cristiano Andujar/Inovafoto/CBV)

Dominante no voleibol nacional ao longo desta década, o Sada Cruzeiro deu uma clara amostra que, em que pese a grande mudança sofrida em seu elenco na atual temporada, segue como o grande time a ser batido no Brasil. Neste domingo (27), a equipe comandada pelo técnico Marcelo Mendez faturou o título da Copa Brasil 2019 ao bater, em Lages (SC), o Fiat/Minas por 3 sets a 0, com parciais de 29-27, 25-22 e 25-22.

É a quarta conquista celeste em sete edições da competição (os títulos anteriores haviam sido em 2014, 2016 e 2018). Além do simbolismo de mais uma taça, a 33ª na era Mendez, o novo triunfo traz uma dose extra  de confiança ao time, que sofreu no Mundial depois de substituir peças importantes na última abertura de mercado: saíram na ponta e no meio de rede os cubanos Yoandy Leal e Robertlandy Simon, que foram substituídos pelo americano Taylor Sander e pelo francês Kevin Le Roux, além do levantador argentino Nicolas Uriarte, cujo lugar foi ocupado pelo então reserva Fernando Cachopa.

Leia mais:

Le Roux: "França merecia mais no Mundial e na Olimpíada"

 

Técnico do time feminino do Minas assume seleção da Coreia do Sul

Diante de um entusiasmado Minas, que chegou à final depois de superar equipes com maior investimento, como o Sesc-RJ e a Funvic/Taubaté, o Sada se valeu de um saque flutuante que perturbou a linha de passe rival, obrigando o experiente levantador Marlon a correr demais e abusar das jogadas na saída, primeiro com Felipe Roque e depois com Davy. Sem a primeira bola, a marcação se acertou para cima dos opostos, proporcionando bloqueios importantes e erros de ataque.

Falando em erros, as falhas de saque também caracterizaram a final, com o "auge" no terceiro set, quando uma sequência de nove desperdícios no fundamento, transformando o placar de 17 a 13 em 22 a 17 para o Sada. A estratégia do Minas de serviço forçado quase deu certo no primeiro set, mas erros em contra-ataques impediram o time treinado por Nery Tambeiro de sair na frente no placar. Gradativamente, a tática foi se tornando ineficaz, impedindo qualquer tentativa de reação.

Apesar de sua segunda derrota em finais da Copa Brasil (o time havia sido derrotado em 2007 para a extinta Cimed), o Minas mostrou que será um adversário indesejado nos playoffs da Superliga, onde atualmente ocupa a sexta posição. Já o Sada provou que o espírito vencedor faz parte do DNA da equipe, para desespero dos rivais, que há anos tentam, sem sucesso, acabar com sua hegemonia no voleibol verde-amarelo.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.