PUBLICIDADE
Topo

Saída de Rede

Brasil vence EUA e se aproxima de mais um título no vôlei masculino

Carolina Canossa

16/09/2017 03h19

Levantador Bruno teve problemas com a precisão das jogadas, mas compensou no bloqueio e na defesa (Foto: Divulgação/FIVB)

A Copa dos Campeões é um torneio de pontos corridos, mas os resultados anteriores e a programação tornaram a partida entre Brasil e Estados Unidos, nesta madrugada, em uma provável final da competição. E quem saiu de quadra com uma mão na taça foi o Brasil, que venceu o confronto por 3 sets a 2, parciais de 28-26, 15-25, 25-20, 22-25 e 15-13.

Para confirmar a primeira colocação, a equipe verde-amarela precisa vencer o fraco Japão, dono da casa, a partir das 6h15 (horário de Brasília) deste domingo (17). O duelo, que não terá transmissão de nenhuma TV brasileira, poderá ser acompanhado através do canal da Federação Internacional de Vôlei (FIVB) no YouTube.

Caso o título de fato aconteça, será a primeira taça de alcance mundial na era pós-Bernardinho. No cargo desde o mês de janeiro, o técnico Renan Dal Zotto foi vice da Liga Mundial e ouro no Sul-americano desde então. São resultados que mostram que a aposta na base vencedora da Olimpíada do Rio de Janeiro foi uma decisão acertada neste início de trabalho.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

O time titular diante dos Estados Unidos foi o mesmo usado ao longo de toda a temporada: Bruno, Wallace, Lucarelli, Maurício Borges, Lucão e Maurício Souza, com Thales e Tiago Brendle revezando-se na posição de líbero. Isac, Renan Buiatti e Rapha também participaram do jogo, mas pouco permaneceram em quadra.

Ao contrário do que aconteceu na Liga Mundial, quando jogaram com um time misto, desta vez os americanos tiveram força total. O oposto/ponta Matt Anderson, por exemplo, começou o confronto em altíssimo nível e muito entrosamento com o levantador Micah Christenson, conduzindo a liderança dos Estados Unidos no placar. Porém, o excesso de erros de saque e a queda de rendimento do astro permitiram aos campeões olímpicos virarem a primeira parcial, encerrada com um ponto de Wallace.

No segundo set, o que se viu foi um Brasil apático em quadra, que em poucos minutos já perdia por 7 a 1. Renan optou por antecipar a inversão 5-1, colocando Rapha e Buiatti nos lugares de Bruno e Wallace, mas as alterações não tiveram efeito e o empate se tornou uma questão de tempo. Na parcial seguinte, foi o Brasil quem teve um início arrasador (5 a 0) com Lucão no saque e Maurício Souza no bloqueio, mas os EUA conseguiram buscar e, com um bloqueio de Anderson em Lucarelli, se aproximaram perigosamente com 17 a 18. A reação, porém, parou por aí e o próprio Lucarelli encaminhou a vitória com uma boa sequência de saques na reta final do set.

Falando em saque, o fundamento foi decisivo na quarta etapa, mas em favor dos Estados Unidos. Ao começar a servir com desvantagem de 20-21, Anderson encaixou três viagens que viraram o placar para 23-21, mantendo os americanos no jogo. No tie-break, mais um duelo equilibrado, mas desta vez faltou alguém para auxiliar Anderson na dura missão de enfrentar o Brasil, que fechou o jogo em um ataque de Wallace.

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.

Blog Saída de Rede