Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Brasil joga bem, complica a China, mas é derrotado de novo na Copa do Mundo

Carolina Canossa

22/09/2019 05h21

Zhu, com 26 pontos, foi mais uma vez importante para a vitória da seleção chinesa (Foto: Divulgação/FIVB)

A perspectiva da seleção brasileira feminina de vôlei diante da China, campeã olímpica e que vinha sem perder sets nesta Copa do Mundo, era ruim depois das contundentes derrotas por 3 a 0 para Holanda e Estados Unidos. A vitória, de fato, não veio, mas o time do técnico José Roberto Guimarães surpreendeu positivamente na madrugada deste domingo (22) e só caiu no tie-break, com parciais de 25-23, 23-25, 22-25, 25-19 e 15-09.

Tecnicamente, a principal mudança do Brasil foi a melhora no volume na defesa, maior problema da equipe até então. Mantida em quadra o tempo inteiro, a líbero Leia teve uma grande atuação e proporcionou contra-ataques importantes para as companheiras de equipe. O nível de saque também melhorou e dificultou bastante a vida das comandadas da técnica Lang Ping.

Importante ressaltar que a postura das brasileiras foi outra: a apatia mostrada nas derrotas até então ficou na outra sede do torneio, Hamamatsu: o que se viu em Sapporo foi um time bem mais vibrante e focado. É verdade que alguns erros facilmente evitáveis ainda aconteceram, mas a seleção desta vez não se intimidou, inclusive recuperando desvantagens grandes no placar, como o 15-19 no terceiro set.

E mais:

 No 7o episódio do Voleicast: Seleção masculina sofre para conquistar o 32o título continental

 Ouça no Voleicast #6: Seleção feminina mantém hegemonia regional

Se tudo isso aconteceu, o que explica a derrota? Três fatores: o forte bloqueio chinês, que brilhou o jogo inteiro (foram 17 pontos no fundamento), especialmente em cima das jogadoras das extremidades do Brasil, a excelente atuação da ponteira Ting Zhu e da central Yuan (26 pontos cada), e a queda de rendimento, especialmente no saque e no passe a partir do quarto set. Em termos de pontuação, as melhores brasileiras foram Gabi (20 pontos) e Mara (17).

Apesar disto, a seleção deixou a quadra passando uma melhor impressão, jogando a maior parte do tempo de igual para igual contra uma das melhores equipes do mundo, mesmo estando desfalcada de jogadoras como Tandara e Natália, que foram poupadas desta Copa do Mundo.  Resta saber se isso se manterá no restante da Copa do Mundo.

Com três vitórias e três derrotas na competição, o Brasil não tem mais chances de título. O próximo compromisso é às 0h30 da próxima madrugada, de domingo (22) para segunda (23), para encarar a República Dominicana, equipe que tem sido uma "pedra no sapato" nesta temporada. Já a China encara, a partir das 3 horas, os Estados Unidos,  num duelo de invictos que será fundamental para a definição do título.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.