Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

No sufoco, Brasil bate Rep. Dominicana e se classifica para a Olimpíada

Carolina Canossa

03/08/2019 12h35

Lorenne foi o destaque do jogo nos primeiros sets, mas depois não conseguiu manter o ritmo (Foto: Divulgação/FIVB)

Em mais um duelo repleto de emoções, a seleção brasileira feminina de vôlei garantiu a classificação para a Olimpíada de Tóquio ao, no início da tarde deste sábado (3), bater a República Dominicana por 3 sets a 2. As parciais do jogo, disputado em Uberlândia (MG), foram 25-22, 25-19, 23-25, 18-25 e 15-10.

Depois de um início tranquilo, no qual deu a sensação de que faria um 3 a 0 com facilidade, a seleção brasileira teve problemas após a estabilização do passe dominicano, causado pela ida da ponteira Prisilla Rivera para o banco de reservas. Passou então a brilhar a estrela de Brayelin Martinez, que terminou o jogo com 20 pontos.

Para complicar, o técnico Marcos Kwiek ainda conseguiu acertar a marcação sobre a oposta Lorenne, que foi o destaque absoluto da primeira metade da partida, período em que fez a maior parte de seus 22 pontos. O aumento da pressão foi sentido pela jovem atacante e pela levantadora Macris, que passou a errar a precisão de bolas também para as outras atacantes. Não bastasse isso, o bloqueio ficou perdido em quadra.

O técnico José Roberto Guimarães tentou reagir, colocando Natália no lugar de Tandara, que mais uma vez iniciou o jogo como ponteira. A ex-atleta do Minas, porém, visivelmente estava longe de sua melhor condição física, já que vem de uma lesão na panturrilha sofrida na final da Liga das Nações. O tie-break foi inevitável.

Martinez passou a brilhar a partir do terceiro set e quase complicou o BrasilDiante de um adversário empolgadíssimo e com chances reais de fazer história, a tensão era palpável no ginásio Sabiázinho. Se não vencesse, o Brasil teria que disputar um Pré-Olímpico continental em janeiro, o que não só atrapalharia a preparação rumo aos Jogos Olímpicos como também prejudicaria a Superliga, dada a necessidade de treinar as principais jogadoras do Brasil.

As primeiras jogadas, de fato, foram truncadas, mas a partir da metade da parcial, as donas da casa engataram uma sequência de pontos e pularam à frente, acordando a torcida. Ao lado da levantadora Roberta, Tandara então voltou para o jogo, desta vez como oposta, posição que está acostumada a jogar. Gabi também cresceu quando mais se precisou dela e a torcida finalmente pôde respirar aliviada após um ataque pelo meio de Mara, lance que garantiu a vaga em Tóquio.

No vôlei masculino, a seleção brasileira buscará sua vaga entre os dias 9 e 11 de agosto, encarando Bulgária, Porto Rico e Egito num quadrangular que dará vaga apenas ao vencedor. A disputa será em Varna (Bulgária).

Ouça o Voleicast, podcast do Saída de Rede

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.