Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Holanda e Polônia organizarão juntas o Mundial feminino de 2022

Carolina Canossa

13/01/2019 14h26

Federação Internacional anunciou neste fim de semana a sede do Campeonato Mundial feminino de 2022 (Fotos: Divulgação/FIVB)

Por Janaina Faustino

Após a escolha da Rússia como sede do Campeonato Mundial masculino de 2022, chegou a hora dos fãs do vôlei saberem onde se dará a disputa no naipe feminino. Em evento comemorativo pelo 90º aniversário da Federação Polonesa (PZPS), realizado na capital Varsóvia neste sábado (12), a Federação Internacional de Vôlei (FIVB) anunciou oficialmente que Holanda e Polônia serão as anfitriãs da segunda mais importante competição para o vôlei.

Vale lembrar que o torneio masculino, ocorrido em 2018, também foi organizado por dois países – Itália e Bulgária. Assim, a FIVB pretende investir neste modelo, apostando na candidatura conjunta das duas Federações e retirando do Japão a chance de sediar novamente a competição (das últimas seis edições, o país asiático foi anfitrião em quatro oportunidades). Segundo o presidente da entidade, Ary Graça, a escolha premia duas nações apaixonadas pela modalidade, que poderão proporcionar um grande espetáculo ao público e aos atletas. O dirigente ainda exaltou o fato de o time dos Países Baixos ter chegado às semifinais na última edição.

À TV polonesa Polsat, o presidente da Federação local, Jacek Kasprzyk, declarou que os poloneses apostam no crescimento da seleção feminina e almejam a conquista de uma medalha inédita, uma vez que no naipe masculino o país já desfruta de reconhecimento e acabou de se sagrar tricampeão mundial. Para tanto, a Polônia investe na força de uma equipe jovem onde se sobressai a promissora oposta Malwina Smarzek, que se destacou na Liga das Nações como a maior pontuadora da fase classificatória, com 361 acertos, sendo contratada pelo italiano Bergamo para esta temporada.

Holanda, da oposta Slöetjes, e Polônia, de Smarzek (em destaque), dividirão a organização do evento

Imprensa europeia especula Tandara entre os reforços do Conegliano

Em ascensão, central Mayany deseja crescer no Minas e sonha com a seleção

Por outro lado, diferentemente da equipe do Leste Europeu, que luta para obter algum destaque, a seleção holandesa já é uma realidade nos grandes torneios. Em ascensão e com atletas reconhecidas no cenário internacional, como a oposta Lonneke Slöetjes, a equipe do técnico norte-americano Jamie Morrison levou a prata no Europeu de 2015, conquistou o quarto lugar na Rio 2016, chegou ao Final Six na Liga das Nações e terminou novamente na quarta colocação no último Mundial.

O presidente da Federação Polonesa ainda afirmou que tanto a partida de abertura quanto a grande final deverão acontecer na Holanda, mas se recusou a fornecer maiores detalhes sobre a organização do evento. Além disso, ele manifestou o desejo de o país se consolidar como sede de outras competições de vôlei, revelando que a entidade apresentou candidatura para receber o Mundial masculino de 2026.

Como se sabe, os poloneses já foram anfitriões do Mundial masculino em 2014. Naquela oportunidade, a equipe do então técnico francês Stephane Antiga conquistou o bi ao derrotar o Brasil na final em Katowice. No naipe feminino, o evento mais relevante sediado pelo país foi o Campeonato Europeu de 2009. Além disso, organizou recentemente o Mundial de Clubes masculino, que teve o italiano Trentino como campeão pela quinta vez.

No Mundial de 2018, a seleção brasileira feminina foi eliminada ainda na primeira fase, terminando na sétima colocação, enquanto a Sérvia conquistou o título pela primeira vez ao bater a Itália.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.