Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Levantadora da seleção italiana relata pânico após ser perseguida por "fã"

Carolina Canossa

26/09/2019 17h30

Orro chegou a ter um ataque de pânico por conta da perseguição do criminoso (Foto: Divulgação/FIVB)

Levantadora reserva da seleção italiana feminina de vôlei, Alessia Orro finalmente pode respirar aliviada: depois de meses sendo perseguida por um homem que se dizia obcecado por ela, a jogadora viu o criminoso, Angelo Persico, ser preso pelas autoridades do país.

"No começo, parecia ser um simples admirador, mas depois ele começou a enviar mensagens pesadas e eu passei a encontrá-lo em todos os lugares. Percebi que não era um fã normal e comecei a me assustar. Era uma mistura de medo e ansiedade", contou Orro, de 21 anos, em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira (26). A perseguição, de acordo com as investigações, começou no fim do ano passado e incluiu a criação de perfis falsos nas redes sociais, presença em jogos, treinos e até mesmo em hotéis onde ela estava hospedada durante viagens, além de tentativas de contato com familiares da jogadora.

Confira mais:

 Ouça o 7o episódio do Voleicast: Seleção masculina leva o 32o troféu no Sul-Americano

 No 6o programa do Voleicast: Seleção feminina mantém supremacia sul-americana

"Ele foi a dois amistosos e ficava olhando pra mim o tempo todo, nem consegui me concentrar", relatou. Segundo Orro, ela teve todo o suporte de sua equipe, o Busto Arsizio – integrantes da comissão técnica, inclusive, fizeram questão de conter Persico quando ele apareceu com flores em um evento de um patrocinador no começo de setembro, ocasião em que Orro teve um ataque de pânico por conta da situação.

Orro diz que resolveu revelar o problema para ajudar mulheres em situação semelhante: "Denunciem" (Foto: Divulgação)

A levantadora diz ter feito questão de levar o caso a público justamente para encorajar mais mulheres que vivam problemas semelhantes.

"Sempre me senti protegida enquanto estava com o time, mas, nos raros momentos em que eu não estava treinando ou com meu namorado, o medo ressurgia. Por isso, é importante encontrar maneiras de evitar que isso ocorra. Agora estou mais serena, mas digo para as mulheres que estão passando por isso: tenham coragem de denunciar", destacou.

Preso com duas facas, Persico, 52 anos, já havia sido detido em 2017 por assédio a outra mulher, segundo a imprensa local. E depoimento à polícia, ele afirmou que só tomou estas atitudes porque estava apaixonado, mas que não repetiria essa atitude. O advogado de Persico, inclusive, entrou com um pedido para ele seja transferido para prisão domiciliar.

Orro, por sua vez, disse que vai tomar mais cuidado com a interação com supostos admiradores, principalmente nas redes sociais: "Com os fãs saudáveis, nada muda, mas terei cuidado. Vou pensar dez vezes antes de responder a quem não conheço".

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.

Blog Saída de Rede