Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Tóquio 2020: etapa em Portugal acirra disputa entre brasileiros por vagas

Carolina Canossa

21/07/2019 20h15

Alison/Álvaro Filho (de amarelo) e André/George (de verde) estão disputando ponto a ponto uma vaga na Olimpíada de Tóquio (Fotos: Divulgação/FIVB)

A etapa Espinho (Portugal) do Circuito Mundial foi marcada por ótimos resultados para as duplas brasileiras de vôlei de praia e, consequentemente, teve reflexos importantes na corrida olímpica que definirá as duas duplas que representarão o país na Olimpíada de Tóquio, em 2020.  Na tarde deste domingo (21), Alison e Álvaro Filho (ES/PB) demoraram 46 minutos para bater os compatriotas André Stein e George  por 2 sets a 1, parciais de 21-13, 15-21 e 15-09.

Pelo título do torneio classificado como quatro estrelas, Alison e Álvaro Filho somaram 800 pontos no ranking da corrida olímpica brasileira, chegando agora a 3.830, suficiente para manter a vice-liderança. Já André e George conquistaram 720, tendo 3.520 na classificação geral, onde estão em terceiro lugar. A primeira colocação é de Evandro e Bruno Schmidt, que ficaram em quinto na etapa portuguesa e estão com 4.640 pontos.

Leia mais:

– Voleicast: queda na Liga das Nações liga o sinal de alerta da seleção masculina

– Brasil é eliminado no Mundial sub-20

O ouro em Espinho é o melhor resultado da dupla formada por Alison e Álvaro até o momento – os dois passaram a jogar juntos apenas no começo do ano e estão lutando para ganhar entrosamento enquanto brigam por uma vaga em Tóquio.

"Estou muito feliz, é um momento muito importante para nossa dupla. Nos juntamos há pouco tempo e por isso não foi possível realizar muitos treinamentos. O time está se encaixando e crescendo dentro do Circuito Mundial, no meio das competições. A dupla de André e George é muito forte, um time novo, jovens com potencial físico muito grande e que está fazendo um bom trabalho também. Quem ganha com isso é o Brasil", afirmou Alison, campeão na Rio 2016 ao lado de Bruno Schmidt.

Ele ainda comentou a trajetória difícil em Portugal, que também teve vitórias sobre  os atuais vice-campeões mundiais, os alemães Thole e Wickler, e os vice-campeões olímpicos, os italianos Nicolai e Lupo.

"Tivemos uma fase de grupos muito forte, perdemos para eles (André e George) valendo o primeiro lugar da chave em um jogo muito equilibrado. Na sequência foram vários cruzamentos duros, os norte-americanos, a dupla alemã vice-campeã mundial, os italianos vice-campeões olímpicos, foi uma trajetória muito forte que foi nos dando confiança e resistência. A final foi digna de uma decisão brasileira, 2 sets a 1, com André e George jogando muito bem novamente. Tivemos calma com o vento forte, mas também soubemos nos comunicar, usar a energia da torcida", analisou.

Rebecca e Ana Patrícia formam a melhor dupla brasileira no momento

NO FEMININO, DUPLAS AMPLIAM LIDERANÇA NA CORRIDA OLÍMPICA

Na disputa feminina em Portugal, o Brasil também conquistou medalha: o bronze de Ana Patrícia e Rebecca, que também tiveram um duelo com compatriotas,  Ágatha e Duda, na disputa pelo terceiro lugar. O placar foi 2 sets a 1, parciais de 21-18, 18-21, 15-12.

O resultado fez ambas parcerias ampliarem ainda mais a liderança que já tinham na corrida olímpica rumo a Tóquio: com os 640 pontos de Espinho, Ana Patrícia e Rebecca chegaram a 4.900, enquanto o quarto lugar rendeu 560 pontos para Ágatha e Duda, que agora somam 4.390 e diminuem bem a pressão que vinha sendo feita por Carol Solberg e Maria Elisa, que foram eliminadas ainda no country-cota e, assim, permaneceram com os 3.370 que tinham após a etapa da Suíça.

Na corrida olímpica do Brasil, apenas os eventos de quatro e cinco estrelas do Circuito Mundial, além do Campeonato Mundial, são contabilizados, cada um com peso correspondente. Além disso, os times terão uma média dos 10 melhores resultados obtidos, podendo descartar as piores participações. Só valem os pontos obtidos juntos, como dupla. Até o momento, foram disputadas nove etapas masculinas e oito femininas. O próximo torneio já é está semana, em Tóquio, no Japão, e está classificado como quatro estrelas.

CONFIRA A CORRIDA OLÍMPICA BRASILEIRA:

Masculino

1 – Evandro/Bruno Schmdit – 4.640 pontos
2 – Alison/Álvaro Filho – 3.830 pontos
3 – André Stein/George – 3.520 pontos
4 – Pedro Solberg/Vitor Felipe – 2.800 pontos
5- Guto/Saymon – 1.900 pontos

Feminino

1- Ana Patrícia/Rebecca – 4.900 pontos
2- Ágatha/Duda – 4.390 pontos
3- Carol Solberg/Maria Elisa – 3.370 pontos
4- Fernanda Berti/Bárbara Seixas – 2.970 pontos
5- Talita/Taiana – 2.530 pontos

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.