PUBLICIDADE
Topo

Saída de Rede

Seleção feminina usa torneio amistoso para últimos ajustes antes do Mundial

Carolina Canossa

04/09/2018 06h00

Na Suíça, seleção principal terá a volta de jogadoras importantes como Natália, Thaísa e Dani Lins em um torneio internacional (Foto: Divulgação/FIVB)

Comandada pelo técnico José Roberto Guimarães, a seleção brasileira feminina de vôlei faz, a partir desta terça-feira (4), seu último grande teste antes do início do Campeonato Mundial, programado para o fim do mês: o Montreux Volley Masters, torneio amistoso que reúne na Suíça outras fortes equipes no cenário internacional, tais como Rússia, Itália, China e Turquia.

A estreia será justamente contra as russas, às 13h45 (horário de Brasília). Na quarta, o desafio será contra a Polônia, às 16h15, enquanto na sexta (7) a equipe encerra sua participação na primeira fase diante de Camarões, também às 16h15. Todos os jogos terão transmissão da "ESPN Extra" e do "Watch ESPN" e os dois melhores times do grupo avançam à semifinal para duelar com os dois melhores da outra chave, composta por Itália, China, Turquia e Suíça.

Fome, exploração infantil e assassinato: jovem talento do vôlei tem história de superação

Para o Brasil, o campeonato será de fundamental importância para que jogadoras como Dani Lins, Natália e Thaisa, que viveram questões físicas nos últimos meses, ganhem entrosamento com o elenco que ficou em quarto lugar na Liga das Nações – o mesmo se aplica à ponteira Fernanda Garay, que volta ao grupo depois de ganhar um período de folga da comissão técnica para cuidar de sua vida pessoal.

"O Montreux Volley Masters servirá de parâmetro para nossa principal competição da temporada, o Mundial. Assim, saberemos o que precisamos melhorar para o futuro", comentou Zé Roberto, que não terá à disposição central Bia, com uma subluxação no ombro direito e a melhor jogadora do Brasil até o momento da temporada, a oposta Tandara, que se recupera de uma inflamação também no ombro direito.

A levantadora Roberta reforçou o discurso de evolução propagado pelo treinador. "Agora no Mountreux, a gente precisa trabalhar muita coisa, como os pontos que Zé tem visto de fragilidade, a forma que a gente precisa reagir, crescer e se fortalecer. Coletivamente, como grupo, estamos tentando crescer cada vez mais e se ajudar, pois sabemos o quanto precisamos estar fortes e unidas para o Campeonato Mundial, que é muito difícil. O Montreaux vai ser bom pro time ganhar um ritmo e uma cara", analisou.

A ponteira Rosamaria, por sua vez, falou da importância já do primeiro duelo, contra a Rússia. "Essa partida contra a Rússia representará um bom teste para a equipe. A Rússia fez uma boa Liga das Nações e vencemos o jogo contra elas no quinto set. É uma equipe alta que evoluiu bastante. Vamos focar no nosso jogo para fazermos uma boa partida", comentou.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Definição do time titular

Com o retorno de atletas importantes, o Montreux também será uma ótima oportunidade de Zé Roberto definir o time que será o titular no Mundial do Japão. Um dos duelos mais interessantes é justamente o que envolve Roberta e Dani Lins, que vai para seu primeiro grande desafio depois de passar pela cesárea que marcou o nascimento de sua primeira filha, Lara, em fevereiro.

"Eu acho engraçado porque trabalhei com a Dani só uma vez em clube, no meu primeiro ano no Sesc. Eu ainda era muito novinha, mas ela passou tanta coisa boa para mim, deixou tanta coisa legal que continuamos nos dando muito bem. Mesmo jogando longe, eu mandava mensagem pedindo ajuda e ela respondia", revelou Roberta. "Acho que é isso que faz dela uma levantadora tão brilhante e vitoriosa como tem se tornado. Admiro muito o esforço, tudo o que a Dani passou depois da gravidez para voltar, o quanto ela busca estar na melhor forma. Acho que ela é a melhor levantadora que o Brasil tem e me sinto lisonjeada de podermos trabalhar juntas", afirmou.

O Brasil participará do Montreux com as levantadoras Dani Lins e Roberta, a oposta Monique, as ponteiras Fernanda Garay, Natália, Gabi, Amanda, Rosamaria e Drussyla, as centrais Thaisa, Adenízia e Carol e as líberos Suelen e Gabiru.

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.

Blog Saída de Rede