Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Contra rival frágil, manter a concentração foi o maior mérito brasileiro

Carolina Canossa

23/05/2018 09h51

Diferença técnica entre as duas seleções é gritante (Foto: Divulgação/FIVB)

Parecia um jogo de juvenis contra adultos: diante da fraca Argentina, a seleção brasileira feminina de vôlei não teve maiores problemas para confirmar seu favoritismo e vencer pela quarta vez na Liga das Nações, a primeira em sets diretos. O duelo, disputado na cidade turca de Ancara, teve parciais de 25-09, 25-21 e 25-14.

Diante de um rival com saque inofensivo, bloqueio ineficiente e pouco controle de bola na defesa, o Brasil só viu as ações ficarem minimamente equilibradas na primeira metade do segundo set – mais por demérito próprio, com excesso de erros, do que por merecimento adversário. Porém, bastou retomar a concentração para garantir mais três pontos e assumir a terceira colocação na classificação geral.

Aos 39, tricampeã olímpica dá exemplo de vida: "Estou feliz e inspirada"

Manter a atenção e, consequentemente, evitar surpresas foi o grande mérito da seleção brasileira nesta quarta (23), já que tecnicamente falando não há grandes aprendizados a tirar de um jogo com uma diferença tão grande de nível. Ciente disto e da fragilidade da Argentina, o técnico José Roberto Guimarães resolveu dar descanso para a principal atacante do elenco, Tandara. De fato, ela não fez falta: sua substituta, Monique, alcançou 16 pontos e foi a maior pontuadora do jogo.

Quem também teve a chance de ganhar um pouco mais de ritmo de jogo foi a central Carol, que ficou no lugar de Adenízia, outra poupada. Assim como já havia acontecido nas partidas anteriores, Gabi jogou apenas o primeiro set – a partir da segunda parcial, ela foi substituída por Drussyla, que formou a dupla de ponteiras com Amanda. Macris, Rosamaria, Mara e a líbero Gabi também puderam desfrutar de alguns momentos em quadra.

O Brasil retorna à quadra às 8h desta quinta-feira (24) para encerrar sua participação na segunda semana da Liga das Nações contra a República Dominicana. Apesar de o time da América Central estar na parte de baixo da tabela, com apenas uma vitória neste início de competição, deve oferecer um pouco mais de dificuldades para as brasileiras, já que é treinado por um técnico daqui, Marcos Kwiek. Ex-assistente de Zé Roberto na seleção feminina, ele conhece bem o elenco verde-amarelo, tendo inclusive trabalhado com o Vôlei Bauru nas temporadas 2015/2016 e 2016/2017 da Superliga.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.