Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Com Tandara na ponta, seleção feminina estreia com vitória no Pré-Olímpico

Janaína Faustino

01/08/2019 15h37

Depois de quase seis meses fora, a oposta/ponteira Tandara voltou a vestir a camisa da seleção brasileira (Fotos: Divulgação/FIVB)

Na tarde desta quinta-feira (1), a seleção brasileira feminina de vôlei teve uma estreia tranquila no Pré-Olímpico, competição mais relevante da temporada que dará ao primeiro colocado do grupo uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio no ano que vem. Diante da sua torcida, na Arena Sabiazinho, em Uberlândia (MG), a equipe fez seu papel e superou com facilidade o modesto time camaronês em sets diretos (parciais de 25-14, 25-13 e 25-16).

Para tanto, contou com o retorno de Tandara, uma das peças mais importantes no esquema ofensivo de José Roberto Guimarães, que voltou a atuar pela seleção após quase seis meses se recuperando das lesões no tornozelo esquerdo e no abdômen. Obviamente ainda em busca do melhor ritmo, a jogadora, no entanto, mostrou em alguns momentos da partida o porquê é considerada a melhor atacante de força do país.

A atleta, aliás, foi escalada pelo treinador como ponteira neste jogo para suprir a ausência de Natália, que ainda se recupera de uma contusão na panturrilha sofrida na final da Liga das Nações, quando a seleção brasileira ficou com o vice-campeonato. Além de Tandara, Zé Roberto iniciou a partida com Gabi na entrada de rede, Macris na distribuição, Bia e Mara pelo meio, Lorenne na saída e Leia como líbero.

Confira mais:

Voleicast: Seleção feminina supera expectativas e é prata na Liga das Nações

Por que a seleção brasileira tem acumulado tantos pedidos de dispensa?

O septeto brasileiro atuou contra a equipe camaronesa praticamente em ritmo de treino. Depois de um equilíbrio inicial, as brasileiras deslancharam no primeiro set com um saque balanceado agressivo – especialmente com Bia e Gabi -, desestabilizando completamente a frágil linha de passe africana.

Além da eficiência no serviço (foram 7 pontos diretos no fundamento contra 5 das visitantes), a virada de bola também foi decisiva para que a equipe abrisse a vantagem. Ao total, a seleção fez 42 pontos de ataque contra 21 das adversárias.

Com boas coberturas na defesa e consistência nos contra-ataques, a seleção seguiu explorando as limitações técnicas do rival na recepção. E, com tranquilidade, chegou a abrir 21 a 8 na segunda parcial. Assim, Zé Roberto aproveitou para manter a concentração do time, colocando outras atletas em jogo.

Com 14 acertos, Gabi foi a maior pontuadora da partida

No começo do último set, as brasileiras passaram por momentos de instabilidade causados principalmente pela perda de concentração, que fez com que elas cometessem erros bobos, e pelas falhas na recepção do saque adversário. O bloqueio camaronês também se destacou na parcial (foram 7 pontos neste fundamento). Foi desta maneira que as rivais conseguiram fazer uma parcial mais equilibrada.

As falhas no sideout e no saque (16 no total contra 8 do Brasil), entretanto, impediram que o time visitante mudasse o panorama da partida. A maior pontuadora do jogo foi Gabi com 14 acertos seguida de Tandara, que anotou 12. Do outro lado da quadra, a oposta Estelle Adiana foi o maior destaque, com 12 bolas no chão.

A seleção brasileira retorna ao Sabiazinho nesta sexta-feira (2) para encarar o Azerbaijão também às 14h15. O jogo terá transmissão da Rede Globo e do SporTV2.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter:@saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.