Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Instável, Brasil perde para a Polônia na Liga das Nações feminina

Carolina Canossa

2029-05-20T19:14:30

29/05/2019 14h30

Polonesa Smarzek foi a maior pontuadora do jogo, com 28 pontos (Foto: Divulgação/FIVB)

A seleção brasileira feminina de vôlei foi superada pela Polônia na tarde desta quarta-feira (29) por 3 sets a 2, parciais de 25-20, 25-22, 26-28, 18-25 e 15-09, em partida válida pela Liga das Nações. Trata-se da segunda derrota da equipe em cinco jogos realizados até agora na competição.

Diante de um adversário que, apesar de em ascensão, ainda é do segundo escalão internacional, as brasileiras apresentaram uma dificuldade imensa na virada de bola, especialmente nos dois primeiros sets. Depois, com os ajustes feitos pelo técnico José Roberto Guimarães, o time melhorou e conseguiu um empate que parecia improvável. No tie-break, porém, as dificuldades ofensivas voltaram a aparecer e a equipe não conseguiu concretizar a virada.

O desajuste no ataque foi reflexo direto de um problema que a equipe vem apresentando ao longo não só desta como também da temporada passada: o passe ruim, fator agravado pela agressividade no saque polonês. Além disto, as atuações individuais das brasileiras ficaram aquém das expectativas, com exceção feita à central Bia, desafogo nos momentos desfavoráveis no duelo e líder da equipe quando a equipe estava à frente do placar.

Leia mais:

Naturalizado brasileiro, cubano Leal se apresenta à seleção

Após decepção em casa, duplas brasileiras se recuperam no Circuito Mundial

Grande destaque da seleção brasileira até então, a ponteira Gabi demorou a entrar no jogo – seu primeiro ponto de ataque, por exemplo, aconteceu somente no 10 a 10 do segundo set. Já do outro lado da quadra, o destaque ficou por conta de Malwina Smarzek, com 28 pontos, e Magdalena Stysiak, que assumiu as rédeas do ataque quando a companheira passou a sentir o jogo, terminando com 14 pontos.

Como se não bastasse, a juíza turca Nurper Ozbar também teve uma atuação bastante contestável, sem critério para marcar levantamentos de dois toques, permitindo jogadas com quatro toques e demorando excessivamente na resolução dos desafios.

Entrada de Roberta colocou Gabi no jogo

ZÉ ROBERTO USA O BANCO E QUASE MUDA O JOGO

Assim como já havia acontecido de forma bem sucedida nesta terça (28) contra a Holanda, Zé Roberto Guimarães apostou no banco para reverter a dinâmica do jogo. A entrada da levantadora Roberta no lugar de Macris, por exemplo, equilibrou as ações em quadra, colocando Gabi no jogo.

Já a substituição de Amanda no lugar de Tainara no segundo set deu maior estabilidade à linha de passe do time, permitindo também à novata descansar e voltar melhor na metade final da partida. Escalada no lugar de Mara, Mayany também foi melhor que a companheira de posição, ainda que não tenha alcançado grande destaque.

Faltou, porém, uma "bola de segurança" à equipe verde-amarela. A oposta Paula Borgo, por exemplo, fez apenas oito pontos, enquanto Lorenne marcou somente um. Sem Tandara, com problemas no tornezelo, e Bruna Honório, que precisou fazer uma cirurgia no coração, a posição de saída é o grande calcanhar-de-Aquiles da equipe neste momento.

Cabe ressaltar também que a instabilidade vista nestas primeiras semanas na seleção brasileira pode ser considerada normal diante do excesso de dispensas causadas por problemas físicos e questões pessoais nas últimas semanas: Borgo e Lorenne não foram sequer titulares na última Superliga. Já jogadoras importantes como Adenízia, Dani Lins, Drussyla, Fernanda Garay, Natália e Tandara não estão à disposição da comissão técnica atualmente, mas gradualmente devem ir voltando à equipe até a Olimpíada de Tóquio, no meio do ano que vem.

O Brasil retorna à quadra já nesta quinta-feira (30), às 14h30, contra a Bulgária, encerrando sua participação na segunda semana da Liga das Nações feminina.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.