Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Mundial masculino volta a ter duelo italiano na final depois de 26 anos

Carolina Canossa

01/12/2018 20h36

Com Bruno e Leal no elenco, Civitanova avançou à final pelo segundo ano seguido (Foto: Divulgação/FIVB)

Não importa quem vença a decisão do Mundial de clubes masculinos neste domingo (2), uma coisa é certa: um time italiano se sagrará como o melhor time do mundo na temporada 2018 de vôlei. A partir das 17h30 (horário de Brasília), Civitanova e Trentino entrarão em quadra no Hala Sportowa, em Częstochowa (Polônia) para decidir o título da competição. O duelo terá transmissão ao vivo do SporTv2.

Esta é a primeira vez desde 1992 que dois clubes italianos fazem a final do Mundial – na ocasião, o Gonzaga Milano bateu o Sisley Volley para conquistar seu segundo título. Vale lembrar, porém, que aquela foi a última edição do Mundial até 2009, quando a Federação Internacional de Vôlei (FIVB) decidiu retomar o torneio, disputado anualmente desde então.

Poderosos, Zenit Kazan dá vexame e Sada Cruzeiro vira coadjuvante no Mundial de clubes

Má organização e falta de estrutura fazem Superliga passar vergonha

Foi nessa nova fase, aliás, que o Trentino aproveitou para fazer história, conquistando quatro títulos consecutivos (2009, 2010, 2011 e 2012), todos eles contando com o brasileiro Rapha como levantador. Atualmente defendendo a EMS Taubaté Funvic, o armador viu de longe seu ex-time bater os russos do Fakel Novy Urengoy por 3 sets a 1, parciais de 22-25, 25-14, 25-16 e 25-19, para avançar à final, com direito a ótima atuação do também levantador Simone Gianelli. Com 18 pontos, o ponteiro sérvio Uros Kovacevic dividiu o posto de maior pontuador em quadra com o bielo-russo Artur Udrys, um dos destaques da campanha surpreendente do Fakel no torneio.

Em busca de sua primeira taça, o Civitanova também teve um início complicado contra o Asseco Resovia (Polônia) na outra semi, mas depois deslanchou e garantiu sua vaga na decisão com parciais de 29-31, 25-19, 25-14 e 25-23. Titular na equipe italiana, o levantador brasileiro Bruno Rezende marcou três pontos e ajudou o agora compatriota Yoandy Leal a marcar 12. Outros dois atacantes, porém, proporcionaram mais pontos à equipe: o oposto búlgaro Tsvetan Sokolov e o ponteiro cubano naturalizado italiano Osmany Juantorena, com 18 pontos cada. Com 19 pontos, o francês Thibault Rossard foi o destaque da equipe da casa.

Vale lembrar que, em 2017 (quando ainda não contava com Bruno e Leal), o Civitanova perdeu a decisão do Mundial de clubes para o Zenit Kazan, time russo que deu vexame na atual edição do torneio. Único representante brasileiro na disputa, o Sada Cruzeiro, três vezes campeão mundial, desta vez acabou eliminado ainda na primeira fase.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.