Saída de Rede

Vôlei passa a ter classificatório para os Jogos Pan-Americanos

Sidrônio Henrique

27/12/2017 06h00

Seleção brasileira comemora ponto nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, em 2015 (fotos: Divulgação/CBV)

Com as vagas até então preenchidas de acordo com o ranking da Federação Internacional de Vôlei (FIVB), os torneios da modalidade nos Jogos Pan-Americanos passarão a ter um classificatório a partir da próxima edição, que será realizada em 2019, em Lima, no Peru. O qualificatório será a Copa Pan-Americana. A mudança foi divulgada pela FIVB nesta terça-feira (26).

Torneio anual criado pela Confederação da América do Norte, Central e Caribe (Norceca), a Copa Pan-Americana conta também, como o nome sugere, com seleções da Confederação Sul-Americana (CSV). No masculino, a sede tem sido sempre algum país da Norceca. A mesma coisa no feminino, à exceção de três edições realizadas no Peru. A primeira disputa foi em 2002 entre as mulheres, com a versão masculina começando em 2006. Nunca foi vista como uma competição importante, a não ser pelas seleções femininas da República Dominicana e do Peru. A ideia de torná-la classificatória para os Jogos Pan-Americanos partiu da Norceca e teve apoio da CSV.

Siga @saidaderede no Twitter
Curta o Saída de Rede no Facebook

Os Jogos Pan-Americanos são um evento multiesportivo (serão 38 modalidades na próxima edição), realizado a cada quatro anos desde 1951, uma espécie de Olimpíada regional. Tem peso secundário no calendário do voleibol brasileiro. O País conquistou quinze medalhas no masculino e nove no feminino – quatro de ouro em cada. O Pan 2019, em Lima, será realizado de 26 de julho a 11 de agosto. Serão oito participantes por naipe. O Peru tem lugar garantido como país-sede.

Os cinco primeiros da Copa Pan-Americana 2018 irão aos Jogos Pan-Americanos 2019 – Norceca e CSV não optaram pela Copa de 2019 porque ficaria muito próxima do Pan. Se o Peru terminar entre os cinco, o sexto colocado herda a vaga. As duas restantes serão dos vencedores de duas repescagens, uma da Norceca e outra da CSV. As edições de 2018 da Copa Pan-Americana serão disputadas em julho no México (feminina) e em agosto em Porto Rico (masculina) – as datas definitivas ainda serão anunciadas.

Final do Pan 2015: Murilo Radke e Maurício Souza tentam bloquear o argentino Facundo Conte

Programação em aberto
O Saída de Rede procurou nesta terça-feira os dois técnicos das seleções brasileiras. Renan Dal Zotto não foi localizado. José Roberto Guimarães disse que não sabia que a Copa Pan-Americana passaria a valer como classificatório para os Jogos Pan-Americanos e que discutiria o assunto em reunião na Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) nos próximos dias, quando será fechada a programação das seleções.

“Nós tínhamos em mente para 2018 o Montreux Volley Masters, a Liga das Nações e o Campeonato Mundial. Mas, diante disso, talvez a seleção tenha mais uma competição”, afirmou Zé Roberto ao SdR. Ele não quis comentar se seria o caso de enviar uma equipe B para garantir a vaga no Pan 2019.

Os Estados Unidos, maiores campeões da Copa Pan-Americana feminina, com cinco títulos, sempre mandam um time B ao torneio. Foi assim este ano, no Peru, quando a equipe americana que depois ficaria em quinto lugar no Grand Prix ganhou com facilidade a competição. O Brasil optou por não participar.

Jogadoras da seleção brasileira com a prata dos Jogos Pan-Americanos 2015

Histórico
A última vez que a seleção brasileira feminina disputou a Copa Pan-Americana com sua equipe principal foi na edição de 2011, quando venceu o terceiro dos três títulos que conquistou. Desde então, tem se ausentado ou então competido com times juvenis ou infantojuvenis. O Brasil participou pela última vez em 2015, ficando em sétimo lugar, representado pela seleção juvenil.

No masculino, o Brasil também tem três títulos, o primeiro com um time B e os outros dois com a seleção sub-23 – o mais recente em 2015. O País não participou nos dois últimos anos. Assim como na competição feminina, os EUA são os maiores vencedores entre os homens, com cinco títulos a exemplo das mulheres. Os americanos enviam equipes universitárias, tendo ganhado pela última vez em 2012. No torneio deste ano, apenas a campeã Argentina mandou sua seleção principal. Até o Canadá, país-sede, colocou em quadra uma mescla de juvenis e jogadores cortados do time A.

Mesmo nos Jogos Pan-Americanos, a CBV às vezes envia equipes B, dependendo do planejamento das comissões técnicas. Foi assim em 2015, em Toronto, no Canadá, quando o Brasil ficou com a medalha de prata nos dois naipes – perdeu para os EUA no feminino e para a Argentina no masculino. Quatro anos antes, em Guadalajara, no México, a seleção feminina foi com seu time principal e o masculino com um B, ambos conquistaram o ouro.

Sobre o autor

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos. João Batista Junior - Já cobriu campeonatos mundiais e a Liga Mundial. Sidrônio Henrique - Trabalhou para publicações da Europa e da América do Norte, produziu conteúdo para a Federação Internacional de Vôlei (FIVB).

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Blog Saída de Rede
Topo