PUBLICIDADE
Topo

Saída de Rede

Apoio raro de patrocinador faz Renata Valinhos sonhar alto no vôlei

Carolina Canossa

21/11/2017 06h00

Valinhos quer se manter no top 10 da Superliga para garantir vaga na próxima temporada (Fotos: Divulgação)

Em um país no qual planejamentos realistas e de longo prazo são raridade, um time da parte de baixo da tabela da Superliga feminina de vôlei deve ser olhado com atenção. Criado há três temporadas, o Renata Valinhos/Country possui estrutura e apoio incomuns no voleibol de clubes, o que lhe permite sonhar em, pouco a pouco, galgar degraus no cenário nacional.

Um exemplo desta organização ocorreu pouco antes do início da Superliga, em outubro. Ciente de que Rio do Sul passava por dificuldades financeiras e corria sério risco de não conseguir disputar a competição, o time estava pronto para substituir a equipe de Santa Catarina. "Já tínhamos desde maio tudo estruturado para um patrocínio de 12 meses (com a empresa Selmi, dono da marca Renata). Mesmo perdendo a vaga na Superliga via Taça Ouro para o Sesi, mantivemos o trabalho e eu continuei dando treinos. Quando veio o convite, foi só falar sim", conta André Rosendo, gestor e técnico da equipe do interior paulista.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Tamanha preparação não deixa de ser uma surpresa, especialmente em um esporte já acostumado com perdas repentinas de patrocinadores, que acabam deixando atletas, integrantes de comissões técnicas e treinadores a ver navios de uma hora para outra.

"Foi um fato raro", admite Rosendo. De acordo com ele, o projeto não sofreu alterações nem quando Valinhos perdeu duas vezes no tie-break, para o CWB/Madero e para o Sesi, na Taça Ouro, desperdiçando a chance de voltar à elite nacional graças aos resultados obtidos em quadra. "Já estava acertado que continuaríamos. O presidente da empresa havia me dito que, mesmo se a gente perdesse a Taça Ouro, iria investir forte para ganhar a Superliga B", revela.

Técnico e gestor, Rosendo estava com tudo pronto para aceitar convite que veio após desistência de Rio do Sul

Esporte caro

Ainda que a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) arque com custos como o deslocamento das equipes ao longo da Superliga, estar na elite do voleibol brasileiro não é nada barato. O Renata Valinhos, por exemplo, conta este ano com um orçamento de R$ 700 mil para a temporada. O valor parece alto, mas é insuficiente para bater de frente com as grandes equipes – nas nove primeiras rodadas do campeonato, o time paulista conseguiu vencer apenas o confronto contra o Sesi.

RedeTV!: descaso e desrespeito com o vôlei

Mesmo assim, a situação é vista com otimismo por Rosendo. "(Esse valor) é uma evolução enorme. No nosso primeiro ano, tivemos R$ 130 mil para a temporada, estávamos no limite. O investimento foi duplicado no ano seguinte e agora mais que dobrou", afirma o gestor, que ressalta o fato de a marca Renata também apoiar agora o time masculino de Campinas, ex-Medley e Brasil Kirin. "É uma crescente e o investimento no masculino mostra o quanto eles estão acreditando no esporte e no retorno que o vôlei dá", complementa.

O orçamento de Valinhos na atual temporada não só banca o time adulto, como também um trabalho de base, desde o sub-13 até o sub-19. Para 2018, o plano é também contar com uma equipe sub-21, o último passo antes do profissional. Já na atual Superliga, a meta é ficar entre os dez primeiros colocados entre os 12 participantes, para não ser rebaixado novamente. "Assim, garantimos nossa vaga no ano que vem. Depois, queremos ficar entre os oito melhores e ir crescendo. Quer queira quer não, agora temos uma boa visibilidade com o patrocinador também apoiando uma equipe do masculino e isso pode arrastar a gente junto", destaca Rosendo, sonhando em fazer história no vôlei nacional.

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.

Blog Saída de Rede