Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Falta de aporte financeiro fez Osasco-Audax negar convite para o Mundial

Carolina Canossa

22/08/2019 06h00

Luizomar lamentou demora em fechar com patrocinadores para a temporada 2019/2020 (Fotos: João Pires/Fotojump)

As idas e vindas de patrocinadores no vôlei tem efeito direto no esporte e mais um exemplo desta dura realidade afetou a equipe do Vôlei Osasco-Audax nas últimas semanas: com dificuldade para conseguir o valor necessário para pagar a indicação feita pela Federação Internacional de Vôlei (FIVB), a equipe paulista se viu obrigada a abdicar da disputa do Mundial feminino de clubes, no fim do ano.

"Recebemos o convite para o Mundial, mas não conseguimos, a tempo, o aporte financeiro para participar. Foi uma pena essa falta de recursos", lamentou o técnico de Osasco, Luizomar de Moura. Ele, porém, tenta ver a situação sob uma perspectiva otimista. "Fiquei feliz em termos recebido o convite, foi um reconhecimento por nosso título mundial (em 2012) e todas as outras participações que tivemos. Somos uma equipe reconhecida internacionalmente", apontou.

Apesar deste contratempo, o trabalho feito por Luizomar e outros dirigentes de Osasco nos bastidores acabou rendendo frutos: ao todo, o time terá sete patrocinadores (Audax, Bradesco, iFood, São Cristóvão/Saúde, Grupo Resek (Reserva Raposo), Grupo Marquise (EcoOsasco) e Hummel), além do apoio da Prefeitura local, na próxima temporada do voleibol brasileiro.

"Conseguimos esses apoios após o término das competições, mas são marcas que olham o vôlei como ferramenta de comunicação e isso é importante na nossa busca. Que na próxima temporada seja possível se organizar antecipadamente", destacou o técnico.

Roberta, Camila Brait, Bia e Mara estão entre as selecionáveis do novo elenco de Osasco

Com o financiamento, Osasco terá seis jogadoras com passagens pela seleção principal em seu elenco na próxima temporada: Jaqueline, Camila Brait, Bia, Roberta, Mara e Fernanda Tomé. Duas estrangeiras, a cubana Heidy Casanova, e a sérvia Ana Bjelica também reforçam o time.

"É um elenco jovem, de grande potencial e que queria estar aqui, tinha como objetivo vestir essa camisa", avaliou Luizomar, que vê na proximidade da Olimpíada uma motivação importante. "Eu tenho aqui muitas jogadoras sonhando com Tóquio 2020. É fazer uma boa preparação e uma boa Superliga. Toda essa vontade de estar na convocação pode fazer muito bem ao time do Osasco-Audax". Um dos principais alvos é justamente Jaqueline: "Eu vi nos olhos dela aquela chama que é importante para o atleta. Colocá-la no mais alto nível seria bom não só para a gente como para a seleção".

Outra consequência de uma temporada de sucesso seria justamente a volta ao Mundial. "Foi uma honra estar no hall dos convidados. Agora, vamos tentar conquistar a vaga dentro de quadra ou recebendo o convite estando preparado para aceitar", destacou Luizomar.

Programada para entre 3 e 8 de dezembro em Ningbo (China), a edição 2019 do Mundial feminino de clubes terá a participação de dois clubes brasileiros: o Minas Tênis Clube, campeão sul-americano, e o Dentil/Praia Clube, que foi convidado pela organização.

Ouça o Voleicast, o podcast de vôlei do Saída de Rede

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.