Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Seleção masculina vê no Pan chance de "preparar o futuro do voleibol"

Carolina Canossa

25/07/2019 06h00

Fronckowiak dá instruções ao levantador Thiaguinho, que também estará no Pan, durante a Liga das Nações (Foto: Divulgação/FIVB)

A proximidade de datas com o primeiro classificatório para a Olimpíada de Tóquio impedirá que os grandes nomes do voleibol do continente joguem os Jogos Pan-Americanos 2019, cujas primeiras disputas já estão sendo realizadas em Lima (Peru). Por estar focado no quadrangular contra Bulgária, Egito e Porto Rico entre os dias 9 e 11 de agosto em Varna (Bulgária), o Brasil, por exemplo, jogará o torneio com um time B, que será comandado pelo assistente técnico Marcelo Fronckowiak.

Trata-se de um time formado por jovens valores que já vêm se destacando na Superliga, mas ainda não são conhecidos do público em geral, acrescidos de nomes com mais experiência, com medalhas importantes no currículo e passagens relevantes pela seleção A, caso do central Éder e do ponteiro Lucas Loh. O próprio Fronckowiak tem cinco títulos no principal torneio de clubes do Brasil, sendo três como jogador e dois como treinador (Ulbra e RJX).

Leia mais:

– Venda de ingressos para o Pré-Olímpico feminino já está aberta

Voleicast: falhas na Liga das Nações acendem sinal de alerta para a seleção masculina

De acordo com Fronckowiak, o plano para o Pan é justamente dar rodagem aos novos talentos. "Temos vários jogadores de potencial que já estão mostrando seu valor na Superliga e que precisam de rodagem internacional, precisam jogar e competir em um nível de pressão de competições internacionais para, assim, continuar sua formação para representar o voleibol brasileiro", comentou o técnico. "O que vai ficar de legado nesse Pan é que estamos preparando o futuro do voleibol brasileiro", destacou.

O objetivo, claro, é o título, mas o treinador faz questão de afastar qualquer favoritismo. "A cultura do voleibol brasileiro e da escola brasileira de voleibol pressupõe que o Brasil sempre vai buscar o melhor resultado. De qualquer maneira, acho que seria uma sandice falar em ouro sem começar o campeonato. A grande questão diz respeito a maneira de abordar qualquer competição que o vôlei brasileiro participe. Vamos para fazer o nosso máximo", comentou.

Treinador comanda última semana de treinos em Saquarema antes de viagem para Lima (Foto: Divulgação/CBV)

Para ele, mesmo com atenção voltada para o Pré-Olímpico, Argentina e Estados Unidos também chegarão a Lima com bons elencos, que entrarão na disputa por medalhas com países que farão do Pan um grande palco para mostrar sua força.

"Os países que têm tradição em voleibol conseguem formar equipes que aproveitam e unem jovens jogadores a outros experimentados que podem muito bem formar um bom time e representar essas escolas. Também haverá Cuba, que provavelmente vai com a principal equipe e recentemente disputou a classificatória para a Liga das Nações, assim como a Copa Pan-Americana. Temos que ter um cuidado grande, não só com essas equipes tradicionais, mas com Chile, que tem feito um bom trabalho, e o México, entre outras. Acho que o nível será interessante porque é uma oportunidade muito grande a quem busca seu espaço", analisou.

PROGRAMAÇÃO

A estreia do Brasil no Pan 2019 será na quarta-feira (31) da semana que vem, contra o México, às 22h30 (horário de Brasília). Nos dois dias seguintes, 1 e 2 de agosto, a equipe nacional encara respectivamente Chile e Estados Unidos no mesmo horário. Os dois melhores do grupo avançam à semifinal. A outra chave é composta por Argentina, Cuba, Peru e Porto Rico.

A seleção brasileira B conta, neste momento, com 15 atletas em treinamento: os levantadores Thiaguinho e Carísio; os opostos Aboubacar e Felipe Roque; os centrais Otávio, Éder, Cledenilson e Matheus; os ponteiros Honorato, Lucas Lóh, Kadu, Rodriguinho e Vaccari, e os líberos Rogerinho e Douglas Pureza. No final da semana, antes da viagem à Lima, o treinador irá reduzir o grupo para 12.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.