Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

André e George formam única dupla brasileira ainda com chances no Mundial

Janaína Faustino

05/07/2019 16h22

André e George superaram os rivais poloneses no tie-break em que perdiam por 6 a 1 (Fotos: Divulgação/FIVB)

Após uma quinta-feira de resultados muito ruins para o vôlei de praia brasileiro no Campeonato Mundial disputado em Hamburgo, na Alemanha, o país voltou a ter um dia difícil nos dois naipes da competição que termina no próximo domingo (7).

Entre os homens, das oito duplas que iniciaram o campeonato, somente André e George seguem vivos. Eles superaram nesta sexta-feira (5) os poloneses Fijalek e Bryl por 2 a 1 (21-16, 15-21 e 15-11), passando para as quartas. Os brasileiros encaram os norte-americanos Bourne e Crabb no próximo sábado (6) em busca de uma vaga na semifinal.

Em uma partida emocionante, os brasileiros chegaram a reverter uma vantagem de 6 a 1 no tie-break a favor dos europeus. "Conseguimos vencer porque nos unimos nos momentos difíceis e vamos precisar ainda mais agora que a competição está chegando ao fim. Apenas os melhores vão permanecer", explicou George.

Alison e Álvaro foram surpreendidos pelos donos da casa Thole e Wickler

Já o campeão olímpico Alison e seu parceiro Álvaro Filho acabaram eliminados nas oitavas em sets diretos (14-21, 15-21) pelos jovens alemães Thole/Wickler, que receberam grande apoio da torcida local.

No naipe feminino, a dupla Barbara Seixas e Fernanda Berti, atual campeã do Circuito Brasileiro e a única que ainda tinha condições de chegar ao pódio, também saiu do Mundial nas quartas ao cair no tie-break (2 sets a 1, com parciais de 19-21, 21-13 e 15-13) diante das suíças Betschart e Huberli.

"Estamos tristes, frustradas. Queria parabenizar as suíças que fizeram um bom jogo. O primeiro set foi bom para nós. Já no segundo eu tive dificuldades principalmente na recepção. Cometi muitos erros. No terceiro set a gente ainda buscou, brigou, mas perdeu algumas oportunidades. E o vôlei de praia é isso. A gente precisa aprender com essas derrotas", lamentou Barbara Seixas.

Leia mais:

Já classificada para a semifinal, seleção feminina perde para os EUA na Liga das Nações

Barbara/Fernanda era a única dupla feminina ainda com chances de medalha

"Acho que foi um jogo duro e as duas equipes estavam bem preparadas, querendo ganhar. Mas o que fez a diferença foram os erros e acabamos perdendo oportunidades", corroborou Fernanda Berti.

Entre as estrangeiras, a canadense Sarah Pavan, ex-Sesc-RJ, e sua parceira Melissa Humana-Paredes disputam a semi contra as suíças Betschart e Huberli. A norte-americana Alix Klineman, ex-jogadora do Dentil Praia Clube, e sua companheira April Ross derrotaram a dupla Clancy/Artacho Del Solar e já estão na grande decisão deste sábado (6).

Contando masculino e feminino, o Brasil tem 12 medalhas de ouro, nove de prata e dez de bronze nas 11 edições realizadas. O Campeonato Mundial é a mais importante competição da temporada, com uma premiação total de 1 milhão de dólares (500 mil para cada naipe) e a maior pontuação ao ranking que, no caso brasileiro, agrega pontos na definição das duplas que representarão o país na Olimpíada de Tóquio.

Colaborou Carolina Canossa

Ouça o segundo episódio do Voleicast, o podcast de vôlei do Saída de Rede

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter:@saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.