Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Bloqueio funciona, Brasil bate a França e se classifica para a fase final

Janaína Faustino

28/06/2019 22h13

Seleção masculina alcançou a 6a vitória consecutiva na Liga das Nações (Fotos: Divulgação/FIVB)

Na abertura da última etapa da fase classificatória da Liga das Nações, nesta sexta-feira (28), a seleção masculina de vôlei voltou a jogar diante de seus torcedores. No ginásio Nilson Nelson, em Brasília (DF), o time de Renan Dal Zotto encarou o qualificado selecionado francês, atual vice-campeão do torneio e um de seus adversários mais duros nos últimos anos.

Vale ressaltar, entretanto, que a seleção já havia se garantido matematicamente nas finais da Liga das Nações, em Chicago, com a vitória por 3 a 1 do Canadá contra a renovada e desfalcada Itália. Contudo, eles não decepcionaram, vencendo os adversários de virada por 3 sets a 1, parciais de 23-25, 25-18, 25-23 e 25-23. Foi o sexto triunfo consecutivo dos brasileiros na Liga das Nações.

Apesar do revés, a equipe europeia também chegou ao Brasil com a classificação bem encaminhada. Para se garantir totalmente no Final Six, os franceses precisam de uma vitória nesta etapa. Assim, em função da situação confortável na tabela, tanto Renan quanto Laurent Tillie optaram por poupar suas principais estrelas para a reta final – o oposto Wallace e o ponteiro Earvin Ngapeth ganharam folga nesta etapa e nem viajaram para a capital federal.

Como esperado, o clássico mundial começou bastante equilibrado. Em que pese a quantidade exponencial de erros que afetaram tecnicamente a partida (foram 11 falhas dos campeões olímpicos e 7 dos franceses), o primeiro set teve bons ralis, apontando para a eficiência do bloqueio e do sistema defensivo brasileiros. Dois destaques negativos nesta parcial: o saque, que pouco incomodou a linha de passe francesa, e a performance do ponteiro Lucarelli, que não fez nenhum ponto de ataque.

Bloqueio brasileiro tirou a confiança do ataque francês, especialmente do oposto Boyer

Ainda assim, os comandados de Renan chegaram a abrir 20 a 17 no placar, mas, com as falhas na recepção do saque flutuante voltando a atormentar o time, as jogadas ficaram marcadas e a equipe permitiu a virada europeia. Vale ressaltar também a entrada do levantador Brizard, que substituiu o titular Toniutti, mudando o ritmo do jogo.

Assim como na etapa anterior, a seleção brasileira conseguiu impor uma boa vantagem logo na primeira metade do segundo set. Percebendo o baixo rendimento de Lucarelli nas ações ofensivas, Renan escalou Douglas Souza, que fez uma ótima partida na entrada. Contudo, os erros em demasia, principalmente de saque, fizeram com que os franceses equilibrassem o confronto. Em contrapartida, o time de Tillie, intimidado pelo bloqueio adversário, também falhou tanto no ataque quanto no contra-ataque em momentos decisivos do set, favorecendo o empate.

Leia mais:

"A seleção brasileira tem muito a crescer ainda", afirma o levantador Bruno

Leal, sobre a seleção brasileira: "Chegou o momento de mostrar a que vim"

Leal e Lucarelli são armas de Renan para o começo da temporada 

O confronto permaneceu equilibrado na terceira etapa, com destaque para o bloqueio brasileiro. Além disso, atenta na defesa, a seleção imprimiu um padrão de jogo que incomodou bastante o selecionado europeu. Na disputa entre os treinadores, que utilizaram diversas peças do banco de reservas ao longo do confronto, melhor para Renan, que além de ter utilizado Douglas Souza, que teve 13 acertos no total, também escalou bem o central Flávio no lugar de Lucão, lesionado.

Dois fatores acabaram sendo determinantes para a vitória brasileira no quarto set: a quantidade expressiva de erros dos franceses nos momentos-chave em todos os fundamentos (foram 30 ao total contra 27 do rival) e o bloqueio verde e amarelo (15 acertos no total). Além disso, deve-se destacar a eficiência de Leal no duelo, marcando 15 pontos. O oposto Alan, substituto de Wallace, saiu do confronto com 11. Entre os europeus, Lyneel e Le Roux foram os destaques com 14 e 13 acertos, respectivamente.

Neste sábado (29), às 20h, o Brasil volta à quadra para encarar a seleção canadense. O cotejo terá transmissão do SporTV2.

Ouça o Voleicast, o podcast de vôlei do Saída de Rede

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter:@saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.