Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Mesmo inconstante no passe, Brasil derrota Portugal na Liga das Nações

Janaína Faustino

2016-06-20T19:15:36

16/06/2019 15h36

Mesmo oscilando na recepção, seleção brasileira se impôs e derrotou time português neste domingo (16) (Fotos: Divulgação/FIVB)

Neste domingo (16), os comandados de Renan Dal Zotto fizeram o dever de casa e encerraram a terceira semana da Liga das Nações com mais um resultado positivo. Desta vez, o time despachou a equipe portuguesa, 13ª colocada na tabela da competição, em casa, com o placar de 3 sets a 0, com parciais de 19-25, 21-25 e 18-25.

Para a partida, Renan escalou Cachopa na armação, Maurício Souza e Lucão (substituído depois por Isac) pelo meio, Leal e Douglas Souza na entrada de rede, Wallace na saída e os líberos Tales e Maique.

Tecnicamente inferior e atuando como franco-atiradora, a seleção europeia começou o confronto explorando aquele que tem sido o calcanhar de Aquiles do Brasil na Liga das Nações: a recepção. Foi através do saque flutuante que os portugueses conseguiram equilibrar o jogo no início, causando grande desconforto à linha de passe brasileira. Contudo, as diversas falhas (14 ao total somente neste primeiro set contra apenas 4 dos atuais campeões olímpicos), sobretudo no serviço e no ataque, favoreceram o crescimento do time de Renan na parcial.

Leia mais:

Seleção masculina tropeça diante dos reservas da Sérvia na Liga das Nações

Lucarelli e Leal são trunfos de Renan para o começo da temporada

Com bom volume de jogo e um sideout mais afinado, sobretudo com Douglas Souza e Leal, o time brasileiro acabou contendo o ímpeto do oponente na segunda etapa. Por outro lado, apesar de ter esboçado uma melhora, a equipe continuou oscilando no passe. Além disso, com desempenho abaixo do esperado, o oposto Wallace cometeu erros incomuns, mostrando que ainda não deslanchou no torneio. Ao total, ele pontuou em apenas 5 oportunidades.

Vale ressaltar ainda o bom aproveitamento do armador Cachopa na partida. Nos momentos em que teve o passe nas mãos, o levantador realizou uma distribuição eficiente e equilibrada, acionando os centrais Lucão/Isac e Maurício Souza pelo meio, além da pipe – com Douglas e Leal -, jogada que a seleção brasileira pouco tem utilizado na competição.

No terceiro set, o Brasil evoluiu tecnicamente e se impôs no cotejo. Chegou a abrir 21 a 13, a maior vantagem do jogo, se saindo bem na virada de bola. Com boas coberturas na defesa, a seleção se mostrou concentrada e não deu chances ao azar, minando totalmente as ações do voluntarioso time português. O treinador Renan ainda fez a inversão 5-1, colocando Bruno e Alan no lugar de Cachopa e Wallace.

Brasileiros jogarão a próxima fase da Liga das Nações em casa, na cidade de Cuiabá

Ao total, os europeus cederam 29 pontos em falhas aos brasileiros e receberam 17. Destaque negativo para os comandados de Renan foi o bloqueio – a equipe não anotou nenhum ponto enquanto que os adversários tiveram 3 acertos no fundamento. Os maiores pontuadores do Brasil foram Leal e Douglas Souza, com 15 e 12 pontos, respectivamente.

Com a vitória, o Brasil alcançou o segundo lugar na classificação geral – atrás apenas da equipe iraniana -, somando 8 triunfos em 9 cotejos. Vale lembrar que a seleção joga as duas próximas etapas do campeonato diante dos seus torcedores. Já na próxima semana, entre os dias 21 e 23 de junho, Cuiabá receberá os jogos contra Bulgária, Alemanha e a Rússia, equipe que é a atual campeã do torneio. Todos os jogos estão programados para as 21h e terão transmissão do SporTV2.

Ouça o Voleicast, podcast de vôlei do Saída de Rede

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter:@saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.