Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Éder, sobre o revés: “Não mantivemos a calma nos momentos mais difíceis”

Janaína Faustino

02/05/2019 06h00

Sesi precisará ganhar o próximo jogo para forçar o quinto e último confronto da série (Foto: Reprodução/Instagram Sesi-SP)

Derrotada por 3 a 2 (20-25, 25-23, 27-25, 28-30 e 15-13) pelo EMS Taubaté Funvic na terceira final da série melhor-de-cinco da 25ª edição da Superliga masculina de vôlei, a equipe do Sesi-SP precisará voltar a mostrar a constância e a disciplina tática que apresentou ao longo da competição se quiser vencer o próximo duelo, forçando o quinto e último jogo.

Mais do que isto, necessitará manter o equilíbrio emocional para tomar as melhores decisões nos momentos-chave da partida. É o que pensa o experiente meio de rede Éder, um dos destaques da equipe, responsável por 19 pontos no confronto.

"A gente sabia que seria um jogo muito equilibrado. Tivemos o apoio da nossa torcida, mas infelizmente acabamos perdendo em um jogo duríssimo, com todos os sets extremamente disputados. Talvez a gente tenha pecado um pouco na nossa melhor qualidade, que é manter a calma nos momentos mais difíceis. Mas, em jogo desse nível não há muito o que fazer. Eles acabaram ganhando no detalhe", ressaltou o central, que foi bastante acionado pelo levantador William nas bolas rápidas de meio, além de ter colocado a recepção rival em dificuldades com boas passagens no saque.

O time da capital paulista teve uma ótima performance principalmente no primeiro set, cometendo poucos erros e com eficiência no sideout. Contudo, o oposto taubateano Leandro Vissotto cresceu a partir da segunda parcial e equilibrou a partida a favor da equipe do Vale do Paraíba. O atacante foi o maior pontuador do jogo, com 25 acertos.

O meio de rede reconheceu os méritos do adversário. "O Vissotto fez um jogo sensacional. A gente não conseguiu fazer uma boa marcação nele. Ele teve um percentual de ataque muito alto e ajudou o time a conseguir essa vitória", explicou Éder.

Leia mais:

Zé Roberto: "Se pudesse, não jogaria a Liga das Nações"

Com propostas distintas, Sesi e Taubaté buscam título da Superliga

Crise no sistema S: Giovane fala em queda no investimento do Sesc-RJ

Além do central e do oposto Alan, com 19 pontos cada, o ponteiro Lipe também se sobressaiu no ataque, colocando 15 bolas no chão. Entretanto, em uma demonstração deste desequilíbrio apontado, se irritou com o bloqueio que tomou de Vissotto no último lance do jogo e foi rapidamente para o vestiário sem se reunir com o time na quadra.

Pelo lado de Taubaté, o ponta Lucarelli também se destacou com 21 acertos. No entanto, apesar de ter levado a melhor nas ações ofensivas (foram 72 pontos contra 60 do oponente), o time de Renan Dal Zotto errou muito mais. Ao total, cedeu incríveis 40 pontos em falhas ao rival e recebeu 26.

Sem dúvida, trata-se de um aspecto que a equipe precisa melhorar para a próxima final, já que em confrontos parelhos como este, o excesso de erros pode fazer a diferença.

Apesar da vantagem aberta, o técnico Renan afirmou que é preciso seguir trabalhando e chamou a atenção para o equilíbrio da final.

"As duas partidas que foram 3 a 0 também tiveram as parciais muito equilibradas. Hoje foi um resumo do que aconteceu nos dois primeiros confrontos e as duas equipes poderiam ter saído de quadra com a vitória. Tivemos sorte em alguns momentos e sabemos que ainda não tem nada definido", frisou.

A quarta final será no próximo sábado (4), às 21h30. Se necessário, o quinto e último jogo será no sábado seguinte (11). Todos os confrontos serão também na Arena Suzano, em Suzano (SP).

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter:@saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.