Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Recordista mundial de pontos deve enfrentar o Brasil em agosto

Janaína Faustino

2016-04-20T19:06:00

16/04/2019 06h00

Ponteira/oposta azeri deverá jogar contra o Brasil no torneio Pré-Olímpico de agosto (Foto: Reprodução/Instagram)

Nova detentora do recorde mundial de pontos marcados em uma partida – com 60 acertos na final do Campeonato Japonês de vôlei feminino, atuando pelo Toray Arrows no último sábado (13) –, Jana Kulan, jogadora eslovaca de nacionalidade azeri, acabou chamando a atenção dos fãs do vôlei ao ultrapassar a marca de sua compatriota Polina Rahimova, que pontuou 58 vezes pelo Queenseis, também na liga oriental, em 2015.

O fato, contudo, é que a atleta vem subindo de produção e atuando em bom nível há algum tempo. Antes de chegar ao clube japonês, a oposta de 31 anos e 1,98m teve passagens pelas ligas russa, sul-coreana, azeri, chinesa e turca.

Pelo turco Kameroğlu Beylikdüzü, por exemplo, onde atuou na temporada passada, Kulan foi uma das principais responsáveis pela ascensão da jovem equipe criada em 2014, à elite do vôlei local. Ela anotou 34 pontos na partida decisiva contra o Seramiksan.

Além disso, a atleta, que joga na posição de ponteira na seleção do Azerbaijão e como oposta nos clubes, chegou a ser a maior pontuadora daquele torneio, com 505 bolas no chão, seguida da ucraniana Alesia Rykhliuk, que fez 480.

Leia mais:

Crise no Sistema S: Giovane fala em queda no investimento do Sesc-RJ

Com Minas Gerais como favorito, Pré-Olímpico segue sem sede definida

Torneio Pré-Olímpico agita calendário do vôlei em 2019

Sob este aspecto, vale um alerta: o Azerbaijão será adversário da seleção brasileira no Pré-Olímpico de agosto, que dará uma vaga na Olimpíada de Tóquio ao vencedor do grupo D. Além da equipe azeri, as brasileiras também jogarão em casa contra camaronesas e dominicanas.

Como os números indicam, Jana Kulan e a oposta Polina Rahimova – que atualmente está no THY Istanbul, da Turquia, tendo atuado em equipes importantes, como o Fenerbahçe e o italiano Pomì Casalmaggiore -, formam uma dupla com enorme poder de ataque, o que pode complicar a vida da seleção verde e amarela. Por isso, a seleção transcontinental não deve ser menosprezada.

Inclusive, a equipe chegou a bater a Holanda por 3 a 0, em 2017, se classificando para o Campeonato Mundial de 2018, onde terminou na 15a posição. O time também disputou o Campeonato Mundial de 2014, na Itália, alcançando na 15ª colocação. Além disso, foi semifinalista do Europeu de 2017, sediado no Azerbaijão e na Georgia, e conquistou o 4º lugar.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.