Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Sesc erra demais, cubanos brilham e Libertadores do vôlei vai pra Argentina

Carolina Canossa

13/02/2019 21h36

Sesc-RJ, de Wallace, não foi páreo para o Bolívar na grande decisão (Foto: Divulgação)

Criada esta temporada para impulsionar o voleibol brasileiro e argentino, a Libertadores do vôlei terminou na noite desta quarta-feira (13) com um resultado negativo para os representantes verde-amarelos: ainda que contassem com três times no Final Four realizado em Taubaté (SP), os donos da casa viram a única equipe celeste triunfar e ficar com o título da competição.

Depois de eliminar a EMS Taubaté Funvic na semifinal por 3 a 2, o Bolívar se impôs sobre o Sesc-RJ na decisão por 3 sets a 0, parciais de 25-23, 25-18 e 29-27. A medalha de bronze ficou com o Sesi-SP, que bateu Taubaté de virada com parciais de 26-28, 19-25, 25-18, 25-22 e 15-10.

Leia mais:

Cubano León deve estrear oficialmente pela Polônia no Pré-Olímpico

Na busca pelo sonho olímpico, Simon diz ainda aguardar resposta da Bulgária

Líder invicto da atual edição do Campeonato Argentino, o time comandado pelo medalhista olímpico Javier Weber teve em dois cubanos os pilares da conquista no interior de São Paulo: o levantador Rydel Hierrezuelo, responsável por ótimos bloqueios e um poderoso saque, e o oposto Yadrian Escobar, ex-Minas Tênis Clube, bola de confiança no ataque.

Já o Sesc, que vive um momento instável na Superliga, teve uma atuação marcada por erros, especialmente no saque, além de uma atuação inconsistente do levantador Thiaguinho. Na tentativa de mudar o panorama do duelo, o técnico Giovane Gávio fez diversas substituições, mas nenhuma foi suficiente para melhorar a defesa e estabilizar a virada de bola.

O resultado da primeira Libertadores é mais um passo da aproximação do voleibol masculino argentino em relação ao Brasil. Ainda que continuemos a ter melhores resultados internacionalmente, o domínio não é mais o mesmo da década passada, com derrotas também em Sul-americanos de clubes (2013 e 2015), categorias de base (sub-19 em 2014 e 2016, sub-21 em 2016, etc) e até mesmo na Liga das Nações 2018 (0 a 3 na semana 5, em Melbourne). Com o bom trabalho que vem sendo realizado no país vizinho e a chegada de Marcelo Mendez, multicampeão no Sada Cruzeiro, à seleção do país, a diferente tende a se encurtar ainda mais nos próximos anos.

Brasileiros e argentinos, inclusive, tem um novo compromisso marcado para ainda este mês, com o Campeonato Sul-americano que será realizado de 26 de fevereiro a 2 de março na Arena Minas, em Belo Horizonte (MG). Enquanto os representantes brasileiros serão Fiat/Minas e o Sada Cruzeiro, os times argentinos serão o Obras San Juan e UPCN. Nacional (Uruguai) e Regatas Lima (Peru) completam a lista dos inscritos.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.