Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Sesi-SP quebra boa sequência adversária e vence Sada Cruzeiro de virada

Carolina Canossa

23/12/2018 00h27

Em jogo de cinco sets, Sesi-SP interrompeu boa sequência de vitórias do rival (Foto: Reprodução/Instagram Sesi-SP)

Por Janaina Faustino

Assim como o naipe feminino, que teve um clássico agitando a última rodada de 2018, a Superliga masculina de vôlei encerrou o ano com mais um grande jogo entre fortes adversários da parte de cima da tabela. Reeditando a final da competição na temporada passada, o multicampeão Sada Cruzeiro (então vice-líder do torneio, com 25 pontos e nove vitórias em dez partidas) visitou o Sesi-SP (quarto colocado com 22 pontos e oito triunfos em dez jogos) e foi derrotado pelo rival em plena Vila Leopoldina, na capital paulista, por 3 sets a 2, com parciais de 20-25, 27-25, 25-21, 24-26 e 15-9. Com o resultado, a equipe de São Paulo subiu para a terceira posição, somando 24 pontos. Já o Cruzeiro somou 1 ponto e alcançou os 26, mantendo-se na vice-liderança.

Para o clássico válido pela 11a rodada, o técnico Marcelo Mendez escalou o armador Cachopa, os passadores Rodriguinho e Sander, os centrais Le Roux e Isac, o oposto Evandro (substituto de Luan Weber, que vinha atuando como titular) e o líbero Serginho. Já Rubinho optou William no levantamento, Lipe e Lucas Loh na entrada, Eder e Gustavão pelo meio, Alan na saída de rede e Murilo como líbero.

O saque cruzeirense foi o diferencial para a vitória dos visitantes na primeira parcial. Com o serviço bastante forçado, principalmente do ponteiro Rodriguinho e do meio-de-rede Le Roux, o Sada Cruzeiro se saiu muito bem ao quebrar a linha de recepção paulistana em vários momentos, marcando, inclusive, pontos diretos. Com o passe desequilibrado, o levantador William enfrentou alguma dificuldade para armar suas jogadas. Já o levantador Cachopa, mesmo atuando com o passe nas mãos e um pouco mais entrosado com seus companheiros, optou por uma distribuição maior pelas extremidades, acionando pouco os centrais Isac e Le Roux. As bolas de meio com o francês, por exemplo, visivelmente ainda necessitam de um ajuste mais apurado. Assim, os visitantes venceram com certa tranquilidade a primeira parcial.

Planos de Guedes causam apreensão nos times de vôlei do Sesc e Sesi

Le Roux: "França merecia mais no Mundial e nas Olimpíadas"

Entretanto, os donos da casa começaram a virar o jogo a partir do segundo set. Melhorando de maneira substancial o desempenho no passe, a equipe do técnico Rubinho passou a contar com uma distribuição mais variada do armador William, que, mais uma vez, se sobressaiu no confronto com vários lances de extrema habilidade. Assim, mais regular na virada de bola, os paulistas equilibraram a partida, sendo beneficiados, ainda, pela queda de rendimento no sistema de recepção cruzeirense. Além disso, a Raposa cometeu muitas falhas em todos os fundamentos (somente no terceiro set, foram 14 pontos cedidos ao rival contra apenas 3 do Sesi). Para se ter uma ideia, somente em erros de saque, o time mineiro cedeu 24 pontos ao total.

Contudo, o time paulista não soube se aproveitar da instabilidade adversária e falhou em momentos decisivos da quarta parcial, permitindo o empate dos comandados de Marcelo Mendez. Em uma partida bastante tensa onde ambas as equipes receberam cartões do árbitro, sobraram lances polêmicos. No tie-break, o time liderado pelo técnico Rubinho desequilibrou totalmente o jogo com uma performance bastante consistente no saque, na virada de bola e nos contra-ataques, chegando a abrir 12 a 5.

Dominando o atual campeão da Superliga com ótimo volume de jogo e um bloqueio eficiente na última parcial, a equipe mandante anulou completamente as ações ofensivas dos atacantes celestes, sobretudo do norte-americano Taylor Sander que, ainda assim, terminou o cotejo como o maior pontuador, com 21 acertos, ao lado de Lipe, que obteve o mesmo número de anotações. Com isso, o Sesi-SP, que já havia vencido o rival no início da temporada, na final da Supercopa, se impôs novamente, interrompendo a sequência de vitórias da Raposa.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.