Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Praia faz seu melhor jogo na temporada e Minas volta a oscilar no Mundial

Carolina Canossa

05/12/2018 11h58

Consistente e concentrado, Praia Clube jogou a sua melhor partida desde o início da temporada 2018/2019 (Fotos: Divulgação/FIVB)

Por Janaina Faustino

Após o triunfo sobre o inofensivo Supreme Chonburi, da Tailândia, na estreia do Campeonato Mundial de Clubes de vôlei feminino, o Dentil Praia Clube voltou a vencer na madrugada desta quarta-feira (5), em Shaoxing, na China. Com uma performance bastante equilibrada e taticamente organizada, o time de Uberlândia bateu o Altay VC, do Cazaquistão, com enorme facilidade por 3 sets a 0, com parciais de 25-14, 25-16 e 25-17. O resultado classificou antecipadamente o representante brasileiro para as semifinais do torneio intercontinental. Já o Minas Tênis Clube superou as donas da casa do Zhejiang pelo placar de 3 sets a 1 (12-25, 25-21, 10-25 e 17-25). Depois do sufoco contra o lutador Volero Le Cannet, a equipe de Belo Horizonte voltou a oscilar, mas, ainda assim, também se classificou com uma rodada de antecedência.

Concentrada, a equipe praiana se portou muito bem em praticamente todo o confronto, com bastante consistência em todos os fundamentos. Juntamente com Fernanda Garay, sua companheira de ataque na entrada de rede, e a líbero Suellen, a ponteira Michelle Pavão se destacou na recepção, entregando as bolas nas mãos da levantadora Carli Lloyd. Assim, a armadora norte-americana conseguiu fazer uma ótima distribuição, colocando todas as suas jogadoras em boas condições de ataque. Sob este aspecto, vale ressaltar a visível evolução técnica da norte-americana nos levantamentos para as centrais Fabiana e Carol, que se sobressaíram nas bolas rápidas de meio e, também, na "china", algo que não ocorreu com tanta naturalidade na partida de estreia.

Outro aspecto que merece ser destacado na bela vitória do Praia sobre o Altay diz respeito ao volume de jogo. Em um confronto com ótimos ralis, a equipe do Triângulo Mineiro mostrou eficiência e organização no sistema defensivo, salvando bolas importantes principalmente da ponteira Mammadova, grande nome do time adversário. Buscando resolver todos os problemas no saque, o time de Paulo Coco optou por um serviço flutuante bastante acelerado, minando o passe e, consequentemente, o ritmo de jogo da armadora cazaque Sarsenbayeva, que substituiu a titular Akilova. Com o passe "quebrado", a levantadora rival teve muitas dificuldades para realizar uma distribuição adequada entre suas atacantes.

Cometendo poucos erros (apenas 10 em todo o duelo), a equipe brasileira não tomou conhecimento do time cazaque e fez o seu melhor jogo desde o início da temporada. Além disso, demonstrou larga superioridade no ataque (47 a 30), no bloqueio, anotando 11 pontos contra 5 do rival, e no saque, onde o representante praiano também levou vantagem (7-1). Entre os destaques individuais, a oposta norte-americana Nicole Fawcett foi a maior pontuadora do jogo, com 19 pontos. Além dela, a passadora Fernanda Garay – que, em uma excelente partida, colaborou não apenas na virada de bola, mas também no saque e no posicionamento tático de preparação dos contra-ataques, colocou 14 bolas no chão – e a meio-de-rede Fabiana, com 13, também brilharam. Pelo lado transcontinental, as maiores pontuadoras foram as ponteiras Anarkulova, com 11 anotações, e Mammadova, com 10 acertos.

Buscando afirmação internacional, Minas e Praia estreiam no Mundial

Má organização e falta de estrutura fazem Superliga passar vergonha

Mesmo irregular, a equipe minastenista conquistou a vitória e a classificação antecipada para as semifinais

No outro grupo, mais à vontade diante do adversário oriental – que se mostrou desentrosado em todo o jogo por contar com várias jogadoras emprestadas para a disputa da competição -, a equipe do Minas fez um início de partida arrasador. O sistema de recepção, que apresentou tantas falhas no confronto contra o Volero Le Cannet, demonstrou mais segurança, facilitando o trabalho da levantadora Macris, que apostou em uma distribuição variada das bolas. Com isso, as brasileiras deslancharam, chegando a abrir um placar de 17-9 na primeira parcial. A postura agressiva deu a impressão de que o time de Belo Horizonte venceria o confronto com uma performance melhor do que aquela vista na estreia. Entretanto, tudo mudou.

Mesmo desorganizado no sistema defensivo e sem grandes opções no ataque, o Zhejiang reagiu na segunda parcial, tirando proveito da queda assustadora no aproveitamento do time de Stefano Lavarini. Concedendo 25 pontos ao rival em falhas de recepção, saque e ataque (contra 19 do adversário), o Minas voltou desconcentrado para o jogo provavelmente em função da fragilidade exposta pela equipe asiática no início do duelo. Desta maneira, confiantes, as chinesas equilibraram o confronto, ganhando seu primeiro set no Mundial de Clubes.

Em mais uma partida plena em oscilações, as brasileiras retomaram as rédeas do jogo no terceiro set, melhorando em todos os fundamentos. Com bom volume de jogo e aperfeiçoando o sistema defensivo, a equipe minastenista chegou a abrir 19-8 na parcial. O técnico Lavarini, então, aproveitou a vantagem para rodar o time, escalando algumas atletas, como a oposta Malu, que substituiu Bruna Honório. Contudo, a história do jogo mudou novamente na quarta parcial, com as orientais chegando a abrir 6 a 1 no placar.

Correndo atrás no marcador, o time mineiro recuperou o controle da partida com uma estratégia de saque forçado, quebrando a recepção chinesa. Sem falar que o Zhejiang passou a ceder mais pontos em erros ao time brasileiro nesta última parcial. A ponteira Gabi, que teve um desempenho bem abaixo do esperado na estreia, terminou o confronto como a maior pontuadora, com incríveis 28 pontos. Aliás, mesmo errando mais, as comandadas de Lavarini também se saíram infinitamente melhor nas ações ofensivas (foram 63 pontos contra 32 do rival). Sua companheira de ataque na entrada de rede, Natália, foi mais discreta, colocando apenas 11 bolas no chão. Acionada pela levantadora Macris, a meio-de-rede Mara também correspondeu bem, obtendo o mesmo número de acertos de Natália.

Com isso, classificados, tanto o Praia Clube quanto o Minas entrarão em quadra nesta sexta-feira (7), contra os turcos VakifBank e Eczacıbası Vitra, respectivamente, apenas para definir primeiro e segundo colocados em cada chave.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.