Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Sada perde de novo e acaba eliminado do Mundial

Carolina Canossa

28/11/2018 17h01

Ao sofrer a segunda derrota no torneio, o time celeste foi eliminado do Mundial de Clubes (Fotos: Divulgação/FIVB)

Por Janaina Faustino

Em uma batalha pela sobrevivência no Campeonato Mundial de Clubes de vôlei masculino, o Sada Cruzeiro voltou a pecar em momentos decisivos e sofreu a segunda derrota, desta vez para o tetracampeão mundial Trentino, por 3 sets a 1, com parciais de 25-17, 26-28, 23-25 e 25-27, na cidade de Reszów, na Polônia. Com isso, o time mineiro passou a depender de uma combinação improvável de resultados para se classificar. No entanto, com a vitória do Asseco Resovia sobre o Khatam Ardakan por 3 sets a 0 (21-25, 21-25 e 11-25), na segunda partida válida pela segunda rodada da primeira fase, o representante brasileiro foi eliminado da competição. Assim, nesta chave, avançaram às semifinais o Trentino e a equipe polonesa. Para manter-se vivo, era imperativo vencer, já que o primeiro critério de desempate é o número de vitórias.

O técnico Marcelo Mendez iniciou a partida com o oposto Evandro, o levantador Cachopa, os centrais Isac e Le Roux, os ponteiros Sander e Rodriguinho e o líbero Serginho. Já o treinador Angelo Lorenzetti utilizou Vettori na saída de rede, Giannelli na armação, Lisinac e Candellaro pelo meio, Russell e Kovacevic pela entrada e o líbero Grebennikov.

O time cruzeirense começou o duelo mais concentrado e com grande volume de jogo, se saindo muito bem em sua estratégia de saque forçado. A recepção e o passe, fundamentos em que a equipe brasileira pecou tanto na partida de estreia, estiveram bem mais regulares e seguros neste primeiro set. Utilizando bem as extremidades nas ações ofensivas, com o oposto Evandro e o ponteiro Sander, o levantador Cachopa demonstrou muita confiança na distribuição. Assim, cometendo poucos erros (apenas 3 neste set), o grupo ajustou muito bem a equação saque-bloqueio-defesa, ganhando a parcial por 25 a 17 e dando a impressão de que conseguiria encaminhar a vitória com certa tranquilidade.

A partir da segunda parcial, entretanto, tudo mudou. A Raposa manteve a sua estratégia de saque forçado, prejudicando a criação das jogadas do levantador Giannelli, que se viu obrigado a forçar mais o jogo com o ponteiro norte-americano Russell, maior pontuador do time europeu, com 24 acertos. O levantador brasileiro, por outro lado, apesar de ainda não ter conseguido estabelecer a melhor sintonia com seus centrais, permaneceu preciso na distribuição das bolas pela entrada e pela saída. Já o time de Angelo Lorenzetti, que vinha sofrendo sem alternativas pelo meio, iniciou um crescimento na metade da parcial, sobretudo com o serviço do oposto Vettori e do central Candellaro, que fez estragos no sistema de recepção rival com o seu saque flutuante.

Com uma grande atuação do ponteiro norte-americano Aaron Russell (em destaque), o Trentino venceu e se classificou para as semifinais

Desta maneira, a recepção celeste voltou a apresentar algumas falhas e o levantador Cachopa cometeu equívocos na construção do ataque que favoreceram o adversário. É fundamental destacar a grande atuação do líbero francês Grebennikov na defesa de bolas importantes para a geração dos contra-ataques. Com isso, o Cruzeiro permitiu a evolução da equipe de Trento, que fechou o set em 28-26 com um ataque do ponteiro Russell e um saque do oposto Gabriele Nelli.

Aparentando abatimento emocional pela queda no segundo set, o time mineiro voltou desatento e cedendo mais pontos em erros de saque e de ataque ao adversário. Sem manter a regularidade da primeira parcial, se mostrou inseguro na virada de bola, no sistema defensivo e, novamente, na recepção. O armador Giannelli, em oposição, já trabalhando com o passe nas mãos, começou a variar e acionar mais as bolas rápidas de meio com o eficiente meio-de-rede sérvio Lisinac. Os centrais do Cruzeiro, por outro lado, permaneceram sendo pouco utilizados pelo meio. Vale ressaltar, ainda, o volume de jogo da equipe italiana, que defendeu bolas fundamentais que se converteram em pontos. Em um ataque do ponteiro Russell, que teve grande atuação, a equipe europeia fechou a terceira parcial.

Os desafios do Sada Cruzeiro no Campeonato Mundial de Clubes

No quarto e derradeiro set, bastante equilibrado, a concentração de ambas as equipes caiu bastante. Contudo, o bloqueio europeu, amortecendo todas as bolas do ataque adversário tanto pela saída quanto pela entrada, acabou minando a virada de bola brasileira, já que os centrais pouco eram utilizados. Apesar da luta e da entrega, o time mineiro cometeu erros em momentos cruciais e também falhou na marcação de bloqueio, permitindo que o adversário convertesse bolas importantes em pontos. É importante mencionar que o número de erros (33 ao total e 28 do adversário) e a concentração do ataque todo pelas extremidades – tanto com o oposto Evandro, que marcou 25 pontos, quanto com o ponteiro Sander, que fez 18 – deixaram o jogo do Cruzeiro bastante marcado, facilitando o trabalho rival. Com isso, sem poder de decisão e aparentando falta de confiança para definir as jogadas em momentos basilares e para sair da marcação, a equipe de Marcelo Mendez acabou sofrendo a derrota.

Com a eliminação do Mundial, o próximo jogo da equipe de Marcelo Mendez contra o iraniano Khatam Ardakan nesta quinta-feira (29), às 17h20, com transmissão do SporTV2, será apenas para cumprir tabela.

CLASSIFICADOS NO GRUPO A

Pelo grupo A, o italiano Lube Civitanova, de Bruninho e Leal, e o russo Fakel Urengoy já estão classificados para as semifinais e se enfrentarão na terceira rodada, nesta quinta-feira (29), apenas para definir primeiro e segundo colocados da chave.

É que o poderoso Zenit Kazan, da Rússia, foi surpreendentemente eliminado da competição ao sofrer a segunda derrota, desta vez para o Lube nesta terça (27). Assim como na primeira partida contra o Fakel, o Zenit perdeu por 3 sets a 2, com parciais de 20-25, 25-22, 24-26, 25-23 e 19-17.

Em uma virada impressionante, a equipe italiana conseguiu reverter o placar de 14-9 a favor dos russos no tie-break, que terminou com os ânimos bastante exaltados. Como o Fakel também bateu o polonês Skra Belchatow por 3 sets a 2 (23-25, 27-29, 30-28, 25-21 e 21-19), o Zenit perdeu a chance de alcançá-los, já que o primeiro critério de desempate é o número de vitórias.

O francês Earvin Ngapeth foi o maior pontuador do jogo ao colocar 22 bolas no chão, seguido do russo Maxim Mikhaylov, com 21 acertos. Entre os italianos, o búlgaro Tsvetan Sokolov fez 20 pontos e o cubano Simon terminou o duelo com 18.

Atualizado às 20h23

Curta o Saída de Rede no Facebook!

Siga-nos no Twitter: @saidaderede

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.