Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Marcelo Mendez bem perto de treinar a seleção da Polônia

Sidrônio Henrique

22/12/2017 14h00

O argentino Mendez levou o Sada Cruzeiro ao tricampeonato mundial (foto: Bartek Muszynski/Saída de Rede)

Marcelo Mendez, técnico do Sada Cruzeiro desde 2009, está bem perto de treinar a seleção masculina polonesa. Mas o torcedor do time mineiro, tricampeão mundial, tetra sul-americano e penta na Superliga, pode ficar tranquilo: ele pretende conciliar o eventual cargo na Polônia com sua função no Sada, afinal não há conflito de datas entre as temporadas de clubes e de seleções. A negociação foi revelada esta semana pelo jornal polonês Przeglad Sportowy, principal diário esportivo daquele país.

Na sexta-feira passada (15), em Cracóvia, véspera da semifinal do Mundial de Clubes, o argentino Mendez se reuniu com o presidente da Federação Polonesa de Vôlei (PZPS), Jacek Kasprzyk. O encontro durou 45 minutos e o treinador confirmou seu interesse em treinar a seleção da Polônia. Saiu dali comprometido a responder o questionário a que todos os candidatos devem se submeter – um formulário para atestar o desejo de treinar a equipe, sem o qual ninguém é aprovado. A PZPS não estipulou uma data para anunciar o escolhido. Mendez é apontado pela imprensa como o favorito.

Siga @saidaderede no Twitter
Curta o Saída de Rede no Facebook

Desde que o argentino Raul Lozano cumpriu um ciclo olímpico inteiro, de 2005 a 2008, culminando nos Jogos de Pequim, nenhum profissional ficou mais do que três temporadas no cargo de técnico da seleção polonesa. Depois da conquista do Mundial 2014, a Polônia decaiu – seu melhor resultado foi o bronze na esvaziada Copa do Mundo 2015. Na Rio 2016, foi eliminada nas quartas de final, mesmo desempenho das três edições anteriores dos Jogos Olímpicos. Na Polônia, o vôlei perde em popularidade apenas para o futebol, mas tem mais prestígio do que no Brasil.

Poloneses viram sua seleção decair após a conquista do Mundial 2014 (FIVB)

Recusa no ano passado
Não é a primeira vez que Mendez é procurado pela PZPS. No ano passado, em meio a novela que resultou na escolha do italiano Ferdinando De Giorgi para o cargo (do qual seria demitido nove meses depois), o técnico do Sada Cruzeiro foi sondado, mas declinou o convite. Em sua carreira, o argentino treinou clubes em seu país natal, além da Itália e da Espanha.

Após a surpreendente conquista do título europeu pela seleção espanhola em 2007, sob o comando do italiano Andrea Anastasi, Mendez foi o sucessor. Conseguiu um honroso quinto lugar para os espanhóis na Copa do Mundo daquele ano. No pré-olímpico europeu rumo a Pequim 2008, perdeu a vaga para a forte seleção da Sérvia num jogo dramático, em que a Espanha abriu 2-0 e tomou a virada, sendo derrotada no tie break por 17-15.

Marcelo Mendez no comando da seleção espanhola na Copa do Mundo 2007 (FIVB)

Condições
O contrato de Marcelo Mendez com o Cruzeiro vai até maio de 2019 e, como ocorre geralmente nos clubes, não há exigência de exclusividade. A princípio, caso assine com a PZPS, ele comandaria a seleção polonesa somente em 2018, na Liga das Nações e no Campeonato Mundial. Dependendo dos resultados, haveria prorrogação até o final dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. A Federação Polonesa sempre exige que os treinadores da seleção sejam exclusivos, mas está disposta a abrir uma exceção para contar com o argentino, que ao longo desta década fez do Sada Cruzeiro uma equipe multicampeã, reconhecida internacionalmente.

O Saída de Rede procurou o treinador, que está de férias, viajando com a família pela França, mas ele não quis comentar o assunto. Como a PZPS, apesar de abrir mão da exclusividade, pede que ele vá em algumas ocasiões à Polônia na temporada de clubes, o blog também entrou em contato com a diretoria do Cruzeiro, que respondeu por meio de nota. “O clube tem conhecimento do interesse da seleção da Polônia e foi informado pelo próprio treinador a respeito destas conversas iniciais, assim como de uma das condições apresentadas (por Mendez): cumprir o contrato com o Sada Cruzeiro”, dizia o comunicado.

O técnico argentino destacou a importância de León para a seleção polonesa (FIVB)

León e medalha
Durante o Mundial de Clubes, realizado na Polônia, de 12 a 17 de dezembro, Marcelo Mendez falou algumas vezes com a mídia local. Ao Przeglad Sportowy ele afirmou que, com a presença do ponteiro Wilfredo León, a seleção polonesa terá grandes chances de medalha em Tóquio 2020. León, cubano de nascimento que se naturalizou polonês em 2015, poderá jogar pela Polônia a partir de 2019.

O técnico argentino disse ainda que apostaria na mescla entre experiência e juventude, referindo-se aos talentos da nova geração, que ainda estão em processo de maturação. A imprensa polonesa constantemente exalta os juvenis que conquistaram o Mundial sub21 este ano – derrotaram o Brasil na semifinal por 3-2. Essa mesma equipe venceu o Mundial sub19 em 2015, o Europeu sub20 em 2016 e o Europeu sub19 em 2015 – está invicta há 48 partidas.

Heynen levou a Alemanha ao bronze no Mundial 2014 e a Bélgica ao quarto lugar no Europeu 2017 (FIVB)

Concorrentes
Mendez é o candidato mais cotado, mas outros seis técnicos responderam ao questionário da PZPS. Os dois concorrentes mais fortes são o belga Vital Heynen e o polonês Piotr Gruszka.

Heynen levou a seleção alemã a um inesperado bronze no Mundial 2014. No comando da Bélgica a partir deste ano, conseguiu dois resultados inéditos para seu país: sétimo lugar na Liga Mundial e quarto no Campeonato Europeu. Tem feito lobby para ficar com a vaga.

Gruszka é um dos grandes nomes do voleibol polonês, inicialmente como ponteiro, depois oposto – jogou pela seleção de 1995 a 2011. Foi assistente no breve período de Ferdinando De Giorgi. Começou na função de técnico há apenas três anos, sem muito destaque. Seu clube na liga local, GKS Katowice, perdeu as últimas seis partidas. Carismático, ele mantém suas chances em razão do status de ídolo e do desejo de uma ala da Federação Polonesa em ver alguém do país no comando da equipe, que vem sendo treinada por estrangeiros desde 2005. A imprensa polonesa acredita que, mesmo que perca a disputa, ele seguirá como assistente na seleção, numa imposição da PZPS, independentemente do escolhido para o cargo de treinador.

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.