Topo
Saída de Rede

Saída de Rede

Russos rebatem: “Giba deveria lembrar que foi punido por usar maconha”

Sidrônio Henrique

2024-01-20T17:13:35

24/01/2017 13h35

Alekno e Giba se cumprimentam após a final da Liga Mundial 2011 (fotos: FIVB)

"Antes de acusar os jogadores russos de fazerem uso de doping, Giba deveria lembrar que já foi punido por usar maconha". Foi assim, de forma belicosa, referindo-se a um episódio ocorrido em 2003, que Vladimir Alekno, ex-treinador da seleção masculina da Rússia, reagiu às acusações do ex-craque brasileiro. Giba afirmou durante uma homenagem ao técnico Bernardinho no Esporte Espetacular, da Rede Globo, que atletas do time russo fizeram uso de doping durante a Olimpíada de Londres, em 2012. No programa da TV foi mencionado que sete russos estariam envolvidos. O Brasil perdeu a final para a equipe comandada por Alekno, numa virada por 3-2. O treinador russo deu esta declaração ao rsport.ru, o principal site dedicado ao esporte naquele país.

Até o ministro do Esporte, Pavel Kolobkov, entrou na polêmica. "As acusações são ridículas e indignas de um atleta excepcional. Se Giba tem qualquer prova, que apresente então", afirmou ao rsport.ru.

Curta o Saída de Rede no Facebook
Londres 2012: Brasil não pode reivindicar ouro antes de Rússia ser punida

O craque russo Sergey Tetyukhin, dono de quatro medalhas olímpicas, inclusive a de ouro em Londres 2012, contemporizou. "Giba é um homem respeitável, jogou aqui na Rússia. Pode ser que tenha havido alguma inconsistência na tradução das declarações dele ou que tenha sido mal interpretado pelos jornalistas". O ex-ponteiro brasileiro jogou duas temporadas no voleibol russo, de 2007 a 2009, pelo Iskra Odintisovo.

Tetyukhin: "Giba é um homem respeitável"

"Não temos a menor preocupação sobre esse tema. Os jogadores foram testados e não houve amostras com resultado positivo. A própria FIVB (Federação Internacional de Voleibol) já informou que desconhece tal fato", disse o secretário-geral da Federação Russa de Vôlei, Alexander Yaremenko.

Para Gennady Shipulin, vice-presidente da Federação Russa de Vôlei, "é tudo bobagem, nonsense". Ele ressaltou que os atletas russos foram testados. "Não devemos prestar atenção a essas acusações. Devemos é treinar para voltar a ganhar medalhas".

Capitão da seleção em Londres 2012, o ponta Taras Khtey classificou a declaração de Giba como "infeliz" e também destacou que os jogadores da Rússia passaram por vários testes. "Não temos nada a esconder". Para Khtey, o brasileiro ainda está "assombrado" pela virada russa na final olímpica. "Ganhamos com dignidade e honestidade, não houve truque sujo". O ex-capitão russo lembrou do período em que foi colega de Giba no Iskra Odintisovo. "Joguei com ele, era um cara maravilhoso. Anteriormente ele não notou problema nenhum aqui, qualquer sujeira. Não sei por qual motivo ele agora quer difamar os jogadores russos. Certamente ele quer se aproveitar e ir na esteira de outros escândalos", comentou Khtey, referindo-se ao Relatório McLaren. Ele fez ainda um apelo: "Gostaria que Giba tomasse conhecimento dessas palavras e tivesse bom senso, em vez de fazer tempestade em copo d'água".

Khtey: "Ganhamos com dignidade e honestidade, não houve truque sujo"

O também ponteiro Dmitriy Ilinykh, outro campeão em Londres, chamou de "delírio" as acusações feitas por Giba. "Isso tudo é um disparate e a justiça prevalecerá".

Embora uma investigação encomendada pela Agência Mundial Antidoping (Wada), englobando o período 2011-2015, aponte a presença de jogadores de voleibol entre mais de mil atletas de 30 modalidades na Rússia, ainda não há confirmação em quais competições teria ocorrido o uso de doping.

O carrasco do Brasil nos Jogos de Londres, o central Dmitriy Muserskiy, que foi deslocado para a saída de rede na final e terminou a partida com 31 pontos, foi flagrado utilizando substâncias proibidas em pelo menos duas oportunidades, mas as datas não foram especificadas, ou seja, por enquanto não se sabe se alguma delas correspondia a Londres 2012. Há outros nomes ligados ao vôlei russo no relatório, mas o número total de jogadores e as demais identidades ainda são mantidos sob sigilo, no relatório produzido pelo jurista canadense Richard McLaren, que chefiou a investigação a serviço da Wada. Foi ele que confirmou à imprensa russa, em dezembro do ano passado, que o nome de Muserskiy estava na lista, mas sem especificar datas.

Sobre a autora

Carolina Canossa - Jornalista com experiência de dez anos na cobertura de esportes olímpicos, com destaque para o vôlei, incluindo torneios internacionais masculinos e femininos.

Sobre o blog

O Saída de Rede é um blog que apresenta reportagens e análises sobre o que acontece no vôlei, além de lembrar momentos históricos da modalidade. Nosso objetivo é debater o vôlei de maneira séria e qualificada, tendo em vista não só chamar a atenção dos fãs da modalidade, mas também de pessoas que não costumam acompanhar as partidas regularmente.