Blog Saída de Rede

Após tragédia, Chapecó brilha com destaque individual na Superliga

Carolina Canossa

Luan Weber conhecia duas das vítimas do acidente de avião (Foto: Divulgação/Montes Claros)

Luan Weber conhecia duas das vítimas do acidente de avião (Foto: Divulgação/Montes Claros)

Se o futuro da Chapecoense nos gramados é desafiador por conta da queda do avião que matou 71 pessoas no dia 29 de novembro, a cidade catarinense tem no vôlei um motivo de alegria enquanto tenta se reerguer. Apesar de o Estado não contar com nenhuma equipe na Superliga masculina, um jogador que cresceu ali tem chamado a atenção pelas excelentes atuações mostradas na disputa: Luan Weber, oposto do Montes Claros Vôlei.

Nascido em Seara, a 42 km de Chapecó, Luan se mudou ainda bebê para o município que recentemente ficou mundialmente conhecido por conta da tragédia envolvendo a equipe de futebol. Começou lá sua carreira no vôlei, onde conseguiu suas primeiras convocações para as seleções de base, e conhecia dois dos jornalistas que estavam no avião, Rafael Henzel, que sobreviveu e voltou ao Brasil nesta terça (13), e Cleberson Fernando da Silva, assessor de imprensa da Chapecoense, que não resistiu aos ferimentos causados pelo acidente.

''São fatalidades em que nós não acreditamos ainda. A cidade que abraçava o futebol hoje lamenta profundamente. Que Deus conforte as famílias'', comentou o atleta em entrevista exclusiva ao Saída de Rede.

#ForçaChape: Superliga se solidariza com equipe catarinense. 

Ainda que involuntariamente e em menor proporção, a história de Luan pode inspirar os sobreviventes da tragédia a se reerguerem. O jogador, de 25 anos, perdeu boa parte das temporadas 2013/2014 e 2015/2016 devido a sérios problemas no joelho que o afastaram durante meses das quadras.

''A vida de atleta está relacionada a momentos como esse. Tive a infelicidade de me lesionar, mas me recuperei bem e graças a Deus estou dando sequência ao meu trabalho. Sempre fui persistente e dedicado quanto à recuperação e nunca me deixei abalar. Hoje, sigo firme nos meus objetivos e o principal é ajudar a minha equipe a fazer uma boa campanha. O resto é consequência desse trabalho'', destacou.

Carrasco do Brasil em Londres 2012 é pego no doping

Literatura no vôlei: a fraca difusão do conhecimento

E que trabalho: decorridas nove rodadas da competição, Luan é o terceiro maior pontuador da Superliga, com 150 pontos. É uma média de 16,6 pontos por jogo, mas, se considerarmos somente o desempenho dele nos jogos contra os principais favoritos ao título (Sada Cruzeiro, Brasil Kirin, Funvic/Taubaté e Sesi), a média sobe para excelentes 22,25 pontos por partida.

Oposto teve excelentes pontuações quando enfrentou os favoritos ao título

Oposto teve excelentes pontuações quando enfrentou os favoritos ao título

Ao ser questionado sobre sua performance, Luan adota uma postura modesta e prefere ressaltar o aspecto coletivo. ''Montes Claros tem mostrado o seu valor desde que começou a Superliga. É um time mais homogêneo e em evolução. Vim para mostrar trabalho e estou fazendo isso'', comentou o atacante, que não está preocupado com o reforço de marcação que deve esperá-lo nas próximas partidas da competição. ''É normal, estou ciente disso. Meu papel é esse: pontuar e ajudar a equipe da melhor forma. Tenho total liberdade para arriscar e ajudar o Montes Claros a dar sequência. O momento agora é treinar forte para dar sequência (ao trabalho) no segundo turno e mostrar a força do nosso time'', afirmou.

Perguntado se possui algum parentesco com Javier Weber, medalhista olímpico e técnico com passagem pelo comando da seleção argentina, Luan mostrou sua faceta bem-humorada. ''Acabo sempre falando que ele é algum tio distante'', brinca o jogador, antes de esclarecer que a semelhança dos sobrenomes é apenas uma coincidência. Mas não há como negar: o sonho dele é se tornar o segundo Weber conhecido mundialmente graças ao vôlei. ''Sonhava em jogar contra grandes atletas e hoje tenho esse privilégio. Amo o que eu faço e almejo um dia jogar pela seleção, ao lado desses jogadores para poder mostrar meu trabalho'', comentou.

Curta o Saída de Rede no Facebook!

O próximo desafio de Luan e do Montes Claros é no sábado (17), contra o lanterna Caramuru Vôlei/Castro, às 20 horas (horário de Brasília) em Castro (PR). Vice-campeão da Superliga em 2009/2010, o time é o atual quinto colocado na tabela de classificação.